Em entrevista exclusiva ao www.oprotagonistafsa.com.br o deputado federal Zé Neto, já anunciado como candidato do PT à prefeitura de Feira de Santana em 2020, evitou polêmicas com o ex-deputado estadual Carlos Geilson (PSDB). De olho em uma composição com o radialista, Zé Neto mostrou um tom de prudência que há alguns anos atrás era algo inimaginável para um político, como ele, de estilo bateu-levou e sem papas na língua. Na conversa, o deputado federal petista avalia, também, a entrevista do ex-deputado Fernando Torres. A entrevista foi dividida em duas partes.
O Protagonista - Deputado, o sr. vê Carlos Geilson como uma ameaça a seus planos de ser prefeito de Feira de Santana?
Zé Neto – Vejo Carlos Geilson como uma figura importante no processo político. Sempre fui a favor da vinda dele para o grupo. Não vou aqui dizer outra coisa a não ser seja bem-vindo. A estratégia do governador Rui Costa, assim como era de Wagner, é sempre agregar. Geilson vem para o nosso projeto reconhecendo que é melhor do que onde ele estava. É preparado, trajetória limpa e honrada como deputado. Trabalhou comigo, inclusive na Assembleia, em algumas situações que envolviam diálogo com a oposição na época em que eu era líder da bancada governista na Casa. Sobre essa coisa de ser prefeito, ainda está longe para pensar como vamos arrumar isso, mas ganha quem agrega mais. Sobre as críticas que ele fez – Geilson criticou a antecipação do anúncio da candidatura de Zé Neto - estão dentro do plano da política. Foram feitas em um momento de tensão, mas vamos voltar a conversar bem e com tranquilidade.
O Protagonista – O sr. aceitaria compor com Geilson?
Zé Neto - Claro que aceito caminhar com Geilson. Se não for em um primeiro turno, pode ser em um segundo turno. Isso é bobagem. Temos que ter é a consciência que existe um projeto maior que a disputa que temos na cidade. Nosso comandante é o governador Rui Costa. No Brasil também temos outros caminhos, que lá na frente vamos ainda conversar. Para mim, tanto com Geilson, quanto com Angelo Almeida, todas essas tensões momentâneas passam. A gente tem que fazer leituras. Eu fui o último a ter o nome colocado no jogo político para a eleição de 2020. Nem foi intenção pessoal minha naquele momento, mas agora é. Sou partidário e sou disciplinado. Meu partido se reuniu e, por unanimidade, decidiu que o momento é esse. Vamos fazer caravanas, vamos para os distritos e para a cidade para conversar com as pessoas. Vamos buscar quem está ao nosso lado, em nosso projeto. Mais protagonismo, mais fidelidade, mais cumplicidade para construir em 2020 um grande projeto para cidade, avaliando o que acertou e o que errou. E podendo propor um conjunto de ações para melhorar a vida das pessoas.
O Protagonista – O ex-deputado federal Fernando Torres, que é do PSD, partido da base do governador Rui Costa, admitiu, em entrevista ao www.oprotagonistafsa.com.br que pode apoiar o prefeito Colbert Martins Filho m 2020, como o sr. recebeu essa notícia?
Zé Neto – Fernando é livre. Tem um partido aliado no estado, mas em nível municipal o jogo é outro. Tenho respeito pessoal a ele. Daqui para lá (2020) muita coisa pode acontecer. Espero que a gente possa, até maio do ano que vem quando a eleição começa a esquentar, trabalhar o suficiente para justificar a candidatura. Tentar montar uma chapa de vereadores adequada, e vamos trabalhar com antecedência, porque o jogo mudou. No mais, sou deputado federal de mandato atuante e tenho responsabilidade com os municípios onde tive voto. Vamos devagar com o andor e estou tranquilo com o que pode acontecer lá na frente. Teremos uma eleição municipal com um Zé Neto tranquilo e com pés no chão para melhorar a vida das pessoas que moram nessa cidade.