A direção geral da TV Subaé prefere o silêncio sobre a crise que assola a Rede Bahia – da qual a emissora feirense é praça. O www.oprotagonistafsa.com.br tentou contato com o diretor geral Marcos Araújo, mas não houve resposta sobre o futuro dos profissionais da TV Subaé em meio a toda essa crise – a Rede Bahia, segundo informações da grande imprensa estadual, demite cerca de 120 profissionais em todas as praças. 

Embora seja uma empresa privada, a Subaé e sua direção, que trabalham com o produto “informação”, deveriam entender que essa crise gera expectativa em vários segmentos – até em parceiros comerciais e no seu próprio telespectador – e que precisam de uma satisfação pública.

Levando seu sinal para 51 municípios, com milhares de telespectadores, a emissora há muito tempo já não é líder absoluta de audiência. Ao contrário, perdeu espaço para as concorrentes, principalmente a Record Bahia. Daí ter mergulhado nesse processo acelerado de crise.