CURTA AS CURTAS

- O quebra pau entre o prefeito Colbert Filho e o deputado estadual Targino Machado ainda rende pano pra manga. A sessão de quarta-feira (29) da Câmara Municipal mais pareceu uma lavanderia. Alguns vereadores da base defendendo o prefeito e os da oposição, é claro, enaltecendo o deputado. Em meio a muita bobagem dita na tribuna da Casa pelos edis, o líder governista disse algo interessante: “Marcos Lima salientou que a expressiva votação de Targino Machado, em Feira de Santana, teve ajuda do Governo Municipal”, diz trecho de matéria da Ascom da Câmara. A pergunta é: que ajuda foi essa?

- O vereador José Menezes, o Zé Filé, fiel escudeiro de Targino Machado em Feira de Santana, tratou logo de rebater Marcos Lima: “Ao contrário do que o líder falou, o ex-prefeito (José Ronaldo) tirou votos de Targino, sempre atrapalhou a eleição dele, tirando o que podia. Os 40 mil votos que Targino teve foi de trabalho. Quem pensa que fechando a clínica dele o prejudicou, está engando; prejudicou as pessoas que lá eram atendidas”, retrucou Filé. Meu caro vereador, político que tem clínica popular não precisa de ajuda para se eleger.

- Ainda sobre a briga pública entre Colbert e Targino, o vereador Roberto Tourinho, evidentemente, parabenizou o deputado pelas farpas que tem disparado em direção ao governo municipal na Assembleia Legislativa. “O papel do deputado é representar a cidade, cobrar, tornar público o que acontece na sua cidade. Quero parabenizar Targino Machado e pedir que continue fazendo seu papel na Assembleia. Aqui, na Câmara, continuarei denunciando”, prometeu Tourinho.

- O interessante disso tudo é quando se faz uma pesquisa no Google sobre a relação do vereador Tourinho e do deputado Targino com o governo municipal. Aparecem várias reportagens com rasgados elogios de ambos ao prefeito Colbert, ao ex-prefeito José Ronaldo e à gestão municipal. O povo pode ter memória curta, mas a internet, não.

- O vereador Zé Filé é daqueles que têm o governo municipal em constante alça de mira. Tem cobrado, corretamente, realização de serviços. Até porque alguns setores do governo deixam mesmo a desejar. E muito. Exemplo: a reposição de lâmpadas e poda de árvores no distrito de Maria Quitéria. Filé informou que fez indicações no dia 1º de fevereiro, mas ainda não foram realizados. Tem gente hibernando.

- Mas, em outros casos, Zé Filé escorrega na falta de informações. O que acaba deixando suas denúncias ou cobranças em descrédito. Ele cobrou, essa semana, a reposição de vacinas nos postos de saúde. “As mães vão com as crianças várias vezes e não encontram a vacina”, disse na tribuna da Casa. Mas onde isso acontece? Que tipo de vacina está faltando? Será que a preocupação do vereador e mesmo com a população?

- O vereador Edvaldo Lima parece querer dar uma de advogado do diabo. Na sessão de quarta-feira (29), garantiu que lutará pela permanência de Antônio Lopes, atual diretor da Fundação de Apoio ao Menor de Feira de Santana (Famfs) à frente da entidade. “No último domingo, fui convidado para participar de uma reunião no Colégio Luiz Eduardo Magalhaes e quando cheguei lá tinham duas pessoas querendo assumir o comandando da Famfs, mas não têm competência para isso, porque a Fundação tem seu diretor. Querem tomar a Famfs, mas não vão tirar, não, pois foi fundada por ele (Lopes) e tem um trabalho eficaz”, ressaltou.

- Faltou o nobre vereador citar as muitas irregularidades investigadas pelo Ministério Público sobre a direção da entidade, inclusive já com parecer para devolução de milhões de reais ao erário.

- Mas nem tudo é cultura e ações inúteis na Câmara Municipal. De vez em quando salva-se uma alma. Na sessão de quarta-feira (29) foi aprovado o Projeto de Lei que dispõe sobre a apreensão de veículos automotores de duas e quatro rodas nas sextas-feiras, sábados, domingos, feriados e no último dia útil que anteceder a feriados em Feira de Santana. Para efeito de pagamento de taxas, só será cobrado no dia útil seguinte. Os vereadores Cíntia Machado, Eremita Mota e Roberto Tourinho votaram contra, sob alegação de que a matéria é inconstitucional

- E continua a farra da utilidade pública na Câmara Municipal. As recentes entidades beneficiadas são o Instituto de Ação Social Reviver e, pasmem, a Associação Civil denominada Federação de Baleado da Bahia. Ambas agora estão aptas a receber verbas de subvenção, entre outros benefícios. Durma com um barulho desse.

Vou ali, porque aqui já deu.