Ele foi vereador por dois mandatos em Feira de Santana. Ficou conhecido pela língua afiada e sua combatividade na Câmara. Mas, também, pelos desentendimentos corriqueiros com o deputado Zé Neto e a cúpula do PT. O professor Marialvo Barreto, em entrevista exclusiva ao Protagonista, revela que não será candidato a vereador em 2020. Afirma que pessoas do próprio grupo puxaram seu tapete e diz que o ex-prefeito José Ronaldo não é “cachorro morto e sabe mexer com o Judiciário”. Marialvo foi vereador por dois mandatos - entre 2005 e 2012.

O Protagonista – O sr. pretende disputar vaga de vereador em 2020 ou se aposentou politicamente da disputa por cargos eletivos?

Marialvo Barreto – Não me aposentei da política. Porém, não pretendo disputar vaga na Câmara de Vereadores em 2020. As condições que vivi no final do meu último mandato (2009 a 2012), de ser vereador e não conseguir sequer uma audiência com o governador. Essas condições não acabaram e em Feira de Santana é muito ruim essa situação de isolamento dos vereadores da oposição. Não serei candidato, mas estarei presente na disputa. Atuando.

O Protagonista – Já definiu como vai ser essa atuação?

Marialvo Barreto – O que meu partido vai fazer eu não sei, mas tenho liberdade para decidir por onde posso caminhar e por onde não posso. Ainda resta muito tempo para ver o que fazer.

O Protagonista - Como o sr. avalia o atual quadro político em Feira?

Marialvo Barreto – O quadro político em Feira não é simples. Não sou daqueles que pensam que Zé Ronaldo é cachorro morto. Não é. Além de ter força política é um indivíduo que sabe mexer com o Judiciário, o que atrapalha qualquer um que seja candidato aqui. Não sei como a direita vai se arrumar sem José Ronaldo ser candidato. Targino Machado, o próprio Fernando Torres, Colbert Martins, dentre outros. A gente está observando para entender, por exemplo, se é só bravata ou o de São Gonçalo (Targino Machado) será candidato. Estamos tomando pé, fazendo uma leitura, para ver como vamos nos comportar politicamente em 2020.

O Protagonista – O sr tem alguma mágoa do partido?

Marialvo Barreto - Saí chateado com algumas coisas de isolamento. Não darei murro em ponta de faca. Se eu disputasse em 2020 a vereador, até podem publicamente dizer que vão me apoiar, mas, por debaixo do pano, vão puxar meu tapete como fizeram da outra vez. E puxam mesmo. E não serei candidato nesse formato.

O Protagonista – E sobre a esquerda, o que o sr. pensa?

Marialvo Barreto – No campo da esquerda tinha que caminhar para construir uma alternativa de unidade. Se a gente conseguir fazer isso, tudo bem. Se não conseguir, vamos avaliar dentro desse processo por aonde vamos caminhar.