Acabou em pizza a denúncia feita pelo empresário Elias Tergilene contra o vereador Luiz da Feira (foto), de tentativa de extorsão. A vereadora Gerusa Sampaio, corregedora da Câmara Municipal, concluiu que não há sustentação na acusação do empresário, que dirige o consórcio do Shopping Popular. “A Comissão da Corregedoria, por unanimidade, sugere ao presidente da Câmara Municipal e à Mesa Diretiva o arquivamento dos autos por não haver elementos fáticos suficientes”, justificou a corregedora na sessão dessa quarta-feira (19).
Em abril deste ano o vereador Luiz Ferreira, conhecido como Luiz da Feira (PPL), denunciou na Câmara Municipal a venda de boxes do Shopping Popular para lojistas da cidade.
Em resposta ao pronunciamento do vereador, o empresário e diretor do consórcio que administra o shopping, Elias Tergilene, acusou Luiz da Feira de tentativa de extorsão e informou que iria denunciar o vereador ao Ministério Público. 
Em virtude das denúncias, o presidente da Câmara, vereador José Carneiro (PSDB), designou a Corregedoria da Casa para colher depoimentos de ambas as partes.
Na sessão ordinária dessa quarta-feira, a corregedora Gerusa Sampaio (DEM) apresentou o relatório de apuração dos fatos, que continha os depoimentos de Luiz da Feira e Elias Tergilene.
“A Casa, por meio da Corregedoria, apurou o caso a fundo colhendo os depoimentos e averiguando as provas”, explicou Gerusa, antes de fazer a leitura dos depoimentos.
O ataque do empresário - “O vereador mentiu, nenhum boxe foi comercializado. Ele que foi até o meu escritório pediu 250 boxes para a associação de ambulantes comercializar. Eu obviamente neguei porque minhas ações são pautadas dentro da lei”, depôs Tergilene.
A defesa do vereador - “Eu não fui a São Paulo para conversar com o empresário. Fui participar de um curso para vereadores e a convite dele fui ao seu escritório. Estando lá, questionei sobre as vendas dos boxes”, disse Luiz.
Antes de apresentar a conclusão do relatório, a vereadora disse que o empresário manteve a acusação, mas não apresentou nenhuma prova.
Resumo da ópera: tudo como dantes do quartel de Abrantes.