Uma cena registrada em fotos na porta da emergência do Hospital Geral Clériston Andrade causou revolta e indignação e quem a presenciou, na noite de domingo (28), por volta das 20h30min. Um homem, vítima de acidente de automóvel, foi tratado como um saco de lixo por maqueiros da unidade.
Gilvaney dos Santos Lopes dirigia um carro funerário, na BR 324, trecho entre Tanquinho e Riachão do Jacuípe, quando se envolveu em um acidente com outros dois automóveis e um caminhão. Uma pessoa morreu no local. Com fraturas nas pernas e várias escoriações pelo corpo ele foi trazido em ambulância do governo do estado para o Clériston Andrade, após ser atendido inicialmente no hospital municipal de Riachão do Jacuípe.
Mesmo sendo vítima de acidente e estando em estado grave, Gilvaney agonizou por muito tempo dentro do veículo, aguardando atendimento. Tudo observado pelos maqueiros, que, inicialmente, ignoraram a situação, apesar dos apelos das pessoas presentes.
O mais revoltante é que os maqueiros, que se mostraram mais preocupados com a sopa que é servida à noite na unidade, trataram a vítima com total desdém. Quando, enfim, resolveram levar a Gilvaney para dentro do HGCA, o derrubaram da maca no chão. E o pior: o puxaram pelo colarinho da camisa, em uma cena revoltante. Tudo foi registrado nesta sequência de fotos enviadas ao Protagonista.
“O homem estava inconsciente e eles pegaram ele como se fosse um saco de lixo. Um absurdo!”, protestou uma pessoa presente. O blog ainda não conseguiu contato com a direção da unidade.