O governador da Bahia esteve no auditório do Centro Industrial do Subaé (CIS), em Feira de Santana, para anunciar novos investimentos para a cidade. O governador assinou ordens de serviço para a construção da Avenida Nóide Cerqueira, do Teatro do Centro de Convenções e da instalação da Câmara Setorial. “Feira não pode copiar ninguém, ela tem suas especificidades. A cidade tem que se desenvolver e aprimorar suas atividades agropecuárias, de eventos e negócios, seu centro de logística e distribuição, entre outras oportunidades que são capacidades que transformariam a cidade num centro distribuidor de serviços para o interior, desafogando a capital e desenvolvendo a cidade localmente”, avaliou o governador.
Interrompidas em 2005, as obras do Teatro serão retomadas neste governo, com a complementação dos serviços de construção civil e demais procedimentos necessários para edificação de um teatro com 3.461,87 m² distribuídos em dois pavimentos, com foyer, plateia, palco e banheiros; urbanização da área externa, contemplando estacionamentos para carros e ônibus, passeios e jardins, assim como edificações específicas – subestação, casa de máquinas e castelo d’água, totalizando 117,25 m². A obra está orçada em R$ 13.723.369,11.
O nome do governador foi retirado propositalmente do início dessa matéria, divulgada na imprensa em 07/08/2012. Portanto, há 7 anos. O governador era Jaques Wagner. Na comitiva, na época, o reitor da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs), José Carlos Barreto; o secretário da Casa Civil, Rui Costa – hoje governador; o diretor do CIS, José Mercês Neto; deputado Zé Neto, entre outras autoridades locais e regionais.
Como se vê, uma ordem de serviço foi assinada para conclusão do teatro do Centro de Convenções em agosto de 2012. “Boca de eleição” municipal. Muita festa, mas nenhum prego batido na obra, desde então. E até hoje, nada. Ano que vem será que tem “teatro” de novo?
(Foto: site Jornal Grande Bahia em 07/08/2012)