Dia 10 de agosto de 2017. Há dois anos a política feirense perdeu o vereador Reinaldo Miranda, Rony, então presidente da Câmara Municipal. De uma família com raízes políticas, ele conseguiu projeção e destaque em Feira de Santana, formando um grupo político forte. Quando faleceu, era nome dado como certo para disputar, com boas chances, uma vaga na Assembleia Legislativa.

Passados dois anos de sua morte, o Protagonista manteve contato com a viúva, Luciane Vieira, a Lú de Rony. “A saudade fica pra sempre, mas temos levado a vida”, salienta.
Evidente que ela herdou de Rony o espólio político. Era companheira constante nas atividades do marido. Ao Protagonista ela já havia revelado que é candidatíssima a vereadora em 2020.
Enfermeira, Lú segue trabalhando no Samu de Feira de Santana. Segue fazendo política. “Temos feito atividades, conversado bastante, mas sem alarde, como ele fazia”, destaca.
Ronny nasceu no dia 17 de outubro de 1975, em Salvador. Estava exercendo o terceiro mandado como vereador e foi, na última eleição, o vereador mais votado com 8.213 votos. Foi reeleito presidente da Câmara em 2016. Tinha curso técnico de Farmacêutico e curso superior incompleto de Comunicação Social com Habilitação em Relações Públicas.
Histórico profissional - em 2002, a gerência administrativa no Centro de Saúde Especializada (CSE) no setor CTA, atualmente DST/HIV/AIDS; a gerência da Unidade Básica de Saúde do Parque Ipê e a gerência da Policlínica, situada no mesmo bairro. A implantação da Policlínica, em 28 de março de 2008, foi uma iniciativa do então vereador Rony, em conjunto com os moradores do bairro Parque Ipê e adjacências.