Uma informação divulgada pelo bem-informado site Bahia na Política e lida na sessão dessa segunda-feira (5) na Câmara Municipal, gerou um grande mal-estar entre vereadores. No uso da tribuna, o líder do Governo na Casa, Marcos Lima, repercutiu a matéria e houve reação de colegas.
De acordo com a matéria, há uma movimentação do vereador licenciado e secretário municipal de Desenvolvimento Social e também de Prevenção à Segurança, Pablo Roberto Gonçalves, para a criação de um “chapão” que atenda sete vereadores, já visando as eleições de 2020.
“Segundo a matéria, a ideia é montar uma chapa, e o PDT é uma opção, que eleja no mínimo dois vereadores. Nesse grupo estariam nomes como: João Bililiu, Fabiano da Van, Ron do Povo, Gilmar Amorim, Neinha, Edvaldo Lima e o próprio Pablo Roberto. Chapa de tubarão para engolir peixinhos, fica difícil”, avaliou Marcos.
Em aparte, o vereador Ron do Povo (PTC) disse que não foi à reunião e que ainda há muito chão pela frente antes das eleições. “O que sei é que estou trabalhando”, afirmou. Edvaldo Lima (PP) ressaltou sua independência na Casa. “Sempre fui independente. Não tenho o ex-prefeito e o prefeito como meus líderes. Sou independente, sempre fui e isso é diferente de dar suporte ao prefeito e hoje eu dou suporte, sustentação necessária ao povo de Feira de Santana”, frisou.
Fabiano da Van (PPS) e Isaías de Diogo (PSC) também soltaram a língua sobre em relação ao assunto. “Estou surpreso em ter meu nome numa lista e não ter participado de reunião. Antes de tomar decisão preciso conversar com o prefeito e ex-prefeito”, disse Fabiano.  “Cada um vale um mandato. Se perder, acabou. Quem manda em meu mandato é Deus e minhas articulações. Podem avisar ao prefeito e ex-prefeito que quem manda são minhas articulações. Não vou para essa estrutura que Vossa Excelência está querendo montar não”, disparou Isaías, respondendo a Marcos Lima.
De volta com a palavra, o líder governista lembrou que o nome do edil Isaías de Diogo não consta na especulação e ressaltou que a informação foi retirada do site. “Não sou eu quem estou falando não, é o site Bahia na Política. Colocaram num partido de oposição. Observem que Pablo tem mais estrutura que nós aqui dentro. Estranhei essa articulação, e por isso trouxe a esta tribuna”, concluiu Marcos.
(Foto e algumas informações: Ascom da Câmara de Vereadores de Feira de Santana)