O Protagonista entrou em contato com proprietários do edifício Sarkys, que desde o final de semana apresenta perigosas rachaduras e leve inclinação, provocado sua interdição e fechamento do Mercado de Arte e remoção de barracas de camelôs na esquina entre a rua Sales Barbosa e a avenida Getúlio Vargas. De acordo com Sônia Sarkys, o imóvel, construído em 1951, será recuperado. “A intenção é essa, mas vamos aguardar o resultado do laudo dos engenheiros”, salienta.
De acordo com a proprietária, não é verídica a informação de que em 1981 o Sarkys apresentou o mesmo problema. “Não é verdade. Foi um desgaste de alguns vidros da fachada. Mandei consertar e não teve nada de problema com a estrutura”, enfatiza.
“O edifício foi feito por uma empresa de Salvador e é bem construído. Poderíamos, na época, até colocar mais dois andares. Foi uma surpresa a notícia dos problemas estruturais no prédio”, acentua.
A última reforma no edifício Sarkys foi feita, segundo dona Sônia, em 1996. Ao ser perguntada se avaliavam a possibilidade de demolição, ela interrompeu a entrevista, feita por telefone. “Só falo agora pessoalmente”.