A insegurança dentro do campus da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS) chegou a um ponto insustentável. Após o Protagonista divulgar casos recentes de assaltos contra estudantes dentro dos muros da instituição (leia mais), nessa quarta-feira (14), aconteceu novo ataque. Dessa vez, dentro da clínica odontológica da universidade.
Cerca de vinte pacientes que esperavam atendimento foram assaltados por dois bandidos armados. Uma funcionária teve um revólver apontado para a cabeça. Além disso, uma estudante que estava próxima ao prédio também foi assaltada e perdeu pertences.
A Polícia Militar foi acionada, teve autorização para entrar na UEFS, mas os policiais não conseguiram localizar os bandidos.
Em relação à ocorrência na Clínica Odontológica na tarde dessa quarta-feira, a Administração Central da UEFS informa que, “de imediato, as equipes de vigilância foram reordenadas para intensificar a segurança em ambientes mais vulneráveis do campus. A Subgerência de Segurança da UEFS continua em articulação e ação com a Polícia Militar para resolução do caso”.
A UEFS ressalta, ainda, “que tem envidado esforços a fim de viabilizar a implantação de um novo modelo que integra diferentes estratégias: aperfeiçoamento da vigilância física, implantação de videomonitoramento, dentre outras ações em andamento”.
O fato é que a direção mostra fragilidade para resolver a situação. Enquanto emite notinhas bem pontuadas e com palavreado fácil, estudantes e funcionários da UEFS vivem em clima de terror. Uma fortuna é paga a uma empresa de segurança para atuar dentro do campus, mas os ataques se sucedem protegidos pela incompetência geral. Será que vai ser preciso morrer algum inocente para que a direção deixe a teoria e exerça o dever da prática?
(Foto aérea do campus: reprodução internet, Colegiado de Engenharia de Alimentos)