O líder do governo municipal na Câmara, vereador Marcos Lima, arrancou risos na Câmara Municipal na manhã dessa terça-feira (27), ao se referir ao colega vereador de oposição Roberto Tourinho. Para Marcos, Tourinho é “uma lacraia, cobra, serpente e escorpião pronto para atacar”. “Vossa excelência sabe muito bem que eu não tenho amizade com empresário e que não conheço o senhor Elias do Shopping Popular”.
As declarações de Marcos Lima se deram em resposta ao pronunciamento de Roberto Tourinho acerca do empreendimento Cidade das Compras. Para Marcos, Tourinho apenas quer tumultuar e tenta manchar a sua imagem perante os camelôs. “Não se enganem com conversa bonita, se tivéssemos algo a esconder, não teríamos marcado uma audiência pública nesta casa e nem a reunião de hoje (terça-feira, 27) com o prefeito. O senhor Roberto Tourinho não está buscando nenhum caminho e nós estamos querendo estabelecer um diálogo”, disse ele se dirigindo aos camelôs presentes na galeria da Casa da Cidadania.
Roberto Tourinho rebate - Tourinho (PV) rebateu o discurso do líder governista, Marcos Lima. De quebra, ainda mandou recado ao empresário Elias Tergilene, responsável pelo consórcio do Centro Comercial Popular.
“O vereador Marcos Lima buscou no reino animal dois animais para me comparar: a cobra e a serpente. Não fico triste em ser representado por elas. Ficaria se fosse representado por lagartixa, que balança a cabeça, e às hienas. Procure, depois, como se comportam as hienas. Ele disse que não conhecia o empresário Elias Tergilene e que quem conhece é Tourinho. Conheço muitos empresários corretos, como vocês, que trabalham honestamente e sei com o que trabalham. Ninguém agora conhecia Tergilene, mas há um tempo atrás estavam defendendo ele. Me lembram muito Judas, que negou a Jesus. Abram os olhos”, disse Tourinho se dirigindo aos ambulantes presentes nas galerias da Casa.
E continuou. “Digo a vocês que estou nesta Casa há sete mandatos e não estou na defesa de vocês por interesse, quem me conhece sabe da minha postura. O presidente, de forma inteligente, busca minimizar, dizer que a Casa não está contra, mas está sim; não caiam nessa. Estão tentando tapear vocês. Isso é conversa de que beiju mordeu tapioca, conversa para boi dormir. Fiquem com os olhos bem abertos. Vocês só conseguiram essa audiência porque mobilizaram a imprensa, pararam o centro da cidade, pararam aqui na Casa. Se não fosse isso, não conseguiriam nada. Quem está falando é um vereador de anos aqui dentro”, pontuou.
Segundo Roberto Tourinho, apenas os vereadores Eremita Mota, Alberto Nery e Luiz da Feira votaram a favor dos Requerimentos de sua autoria, que visam adquirir mais informações sobre o Shopping Popular e o empresário Elias Tergilene. “Os demais derrubavam meus Requerimentos. Como posso acreditar que defendem e estão preocupados com vocês? Então, já disse e vou repetir: não tenho que fazer pronunciamento para agradar quem está do vidro para cá e sim, do vidro para lá. A Prefeitura fez uma investigação para contratar 200 agentes para combater os vendedores ambulantes e estamos investigando quem é essa empresa. Tenho um faro muito aguçado para esse tipo de situação, para as malandragens”, observou.
Tourinho disse mais, que é preciso ser perdigueiro, pois há muito “malandro” querendo colocar “a mão” no dinheiro público. “Estou fuçando Elias há uns dias. Elias, estou atrás do senhor, fuçando o que essa turma está querendo fazer em Feira de Santana. Peguei todos os itens dessa parceria e vou investigar um por um. Se eu não estiver nesta Casa vou advogar. Já advoguei no Feiraguai. O que quero dizer é que vamos continuar lutando, fazendo com que seus direitos sejam garantidos. Na audiência com o prefeito levem a pauta, listem o que querem e o que não concordam. Se são três mil lojas, queiram três mil lojas para vocês, para os vendedores ambulantes. Não abram mão disso. Me chamem de cobra, escorpião ou até perdigueiro, só não me chamem de lagartixa”, findou.

(Foto: reprodução do site Rota da Informação)