O prefeito Colbert Martins Filho saiu em defesa do secretário municipal de Cultura, Esporte e Lazer, Edson Borges, bombardeado por críticas de vereadores na Câmara Municipal – inclusive o presidente da Casa, José Carneiro (leia mais).
Em matéria postada no site da Prefeitura, o prefeito justifica os cortes nas verbas destinadas a festas populares, que tanto têm gerado insatisfação na Câmara Municipal em vereadores da base. "O secretário pauta a sua atuação na transparência e em consonância as regras legais, bem como no entendimento dos órgãos fiscalizadores como o Ministério Público e o Tribunal de Contas dos Municípios". 
Sobre o evento festivo realizado no povoado Alecrim Miúdo, no fim de semana, o prefeito afirma que Edson seguiu suas orientações quanto a política de redução de custos "no que for possível", tanto na contratação de atrações musicais como em despesas com a locação de   estruturas.
Mesmo com a contenção de despesas e uma seleção de atrações com cachês “dentro das possibilidades” da Prefeitura, o gasto com a Festa do Vaqueiro, naquele povoado do distrito Matinha, atingiu cerca de R$ 50 mil apenas na contratação de bandas musicais. No total, aproximadamente R$ 80 mil.
A ordem segundo ele, é economizar nas despesas com festejos populares, "em vista da grave crise econômica que vivemos no país, com impacto direto na receita dos municípios".
Colbert aproveitou para mandar um recado: "Não tenho nenhum problema de desistir de indicações de artistas ou bandas, quando seus produtores ou empresários não aceitam adequações nos valores de seus cachês, para atender as nossas possibilidades e ao interesse público".