No mínimo três e no máximo quatro meses. Esse é o prazo para o edifício Sarkis ser liberado. A estimativa é de Pedro Américo Lopes, coordenador da Defesa Civil Municipal.
Três equipes de engenheiros trabalham no imóvel, que apresentou rachaduras e uma leve inclinação (leia mais): uma equipe contratada pelos proprietários do prédio, outra pela Embasa e uma da Prefeitura de Feira de Santana.
De acordo com Pedro Américo, apesar da pressão, neste momento não há a menor possibilidade de liberação do imóvel e da rotina normal na parte da rua Sales Barbosa interditada.
Porém, nos próximos dias é provável que metade da rua Sales Barbosa seja liberada para o fluxo de pessoas. “Mas as barracas, cerca de 60 que foram relocadas, não vão voltar”, salienta Pedro Américo. A rotina normal no Mercado de Arte – shows aos sábados – também deverá voltar.
Mas a liberação definitiva, tanto de parte da rua Sales Barbosa, quando dos shows no MAP, depende do resultado do diagnóstico que está sendo feito e deve ser concluído ainda esta semana. Mas a perspectiva é otimista. “Acredito que tudo vai dar certo e parte da rotina no local será retomada”, acentua Pedro.