Restando pouco mais de um ano para as eleições municipais, o cenário em Feira de Santana mostra-se bastante indefinido. Até aí, nenhuma novidade. Além da pequena diferença que separa os pré-candidatos até aqui expostos, um outro fator importante surgiu como combustível para a disputa: o alto índice de eleitores indecisos, além de brancos e nulos, tendo como base pesquisas recentes.
Na pesquisa da Equalip (divulgada em junho) o índice de indecisos, junto com brancos e nulos, chegou a 62,4% dos entrevistados; nos números apresentados pelo GEPE (setembro), o índice de pessoas indecisas, que votam em branco ou nulo é de 45,3%. Estranhamente, o Instituto Paraná não apresentou seu número de eleitores indecisos na consulta espontânea.
Quando a pesquisa é estimulada (com apresentação de nomes), o índice de quem vai votar nulo, em branco ou está indeciso também é elevado, de acordo com o comparativo acima. 
Com esses expressivos índices de indecisos, a eleição está mais que aberta. Qualquer um dos pré-candidatos expostos até o momento pode se eleger. Embora ainda haja um fator que, certamente, vai reduzir consideravelmente esses números: o anúncio do nome do candidato do ex-prefeito José Ronaldo. Boa parte desses indecisos espera essa decisão para se pronunciar.