Durante a audiência pública para discutir o Shopping Popular, na Câmara Municipal de Feira de Santana, terça-feira (17), o vereador Roberto Tourinho trouxe à tona graves denúncias sobre o empresário Elias Tergilene. O Protagonista reproduziu as declarações do vereador. Tourinho detonou a reputação do empresário, que, segundo ele, responde a processos em outros estados. O empresário disse que já teria acionado Roberto Tourinho na Justiça.
“A frieza desse cidadão, a indiferença, me causa repulsa. Este cidadão é réu em uma ação civil pública na 3ª Vara em Manaus. Tenho aqui parte da decisão do ilustre juiz dr. Ricardo A. de Sales: ‘em relação a Whall II Centro Comercial e Whall Shopping e seu representante Elias Tergilene Pinto Júnior, vislumbro indícios de conduta ímprobas, na medida em que a pessoa jurídica foi criada especificamente para administrar o shopping popular’. Mais à frente diz: ‘além disso foram juntados documentos, os quais demonstram que o requerido Elias Tergilene Pinto Júnior, como responsável pela execução das obras do camelódromo provisório, teria se recusado a cumprir a decisão judicial que determinou a paralisação das referidas obras, concorrendo, em tese, com a prática de atos de improbidade administrativa’.
Elias Tergilene Pinto júnior é contumaz nessa prática em se comprometer em administrar camelódromo, shopping popular e não cumprir com nada. A decisão é muito longa e é assinada pelo juiz federal Vitório Neto. Esse mesmo cidadão que aqui está, também é réu numa ação civil pública na 3ª Vara Federal do Tribunal Regional Federal, do Amazonas. Uma matéria na imprensa local, diz que uma ocupação foi incendiada nos bairros Olhos D’água, na região oeste de Belo Horizonte, que gerou, inclusive, dois homicídios. Duas pessoas foram mortas, diz a matéria. Esta matéria está na internet à disposição de quem quer que deseje. Uma das vítimas, que preferiu não se identificar com receio de receber retaliação, disse que Elias Tergilene, empresário e proprietário do shopping local, ameaçou, dizendo que deveriam sair do local. A vítima informou, ainda, que Tergilene ameaçou retirar todo mundo com um trator. ‘À noite eles vieram e tocaram fogo em todos os barracos’, disse a testemunha. Esta matéria pode ser acessada através do Youtube. Eu quero dizer aos senhores e senhoras, que aqui tem um CD com 2 horas de uma conversa do senhor Elias e os responsáveis Francisco e Rodrigo, aonde ele manda descumprir que não seja usado o material necessário para o piso do Shopping Popular. Aqui está a vida pregressa do senhor Elias. Ele é réu em todos esses processos. Não vou fazer nenhuma pergunta a esse cidadão porque ele não é digno de se dirigir a mim. Não se dirija a mim porque eu não dou ouvidos a malandro”.