A Caixa Econômica Federal entrou em contato com o Protagonista, através de sua assessoria de imprensa, para explicar a ação de desocupação do imóvel da senhora Eulenir Pereira dos Santos, que, de acordo com denúncia do vereador Isaías de Diogo, foi expulsa da própria casa (leia mais). A seguir, íntegra da nota enviada ao blog.

“Ao Site O Protagonista FSA

Prezado jornalista Augusto Ferreira, a Caixa esclarece que possui como premissa acompanhar o cliente em todas as etapas do ciclo de crédito, de forma a identificar eventuais alterações de comportamento financeiro, buscando apresentar alternativas negociais que possibilitem a retomada do fluxo de pagamentos, em detrimento à retomada das garantias.
Para isso dispõe de diversos canais de atendimento internos e terceirizados para abordagem aos clientes inadimplentes, bem como atendimento em agências e canais receptivos e digitais para que possa ser realizado o contato por interesse pessoal do cliente independente de atraso em seus contratos.
A Caixa somente utiliza a retomada do imóvel como última medida possível, quando esgotadas as possibilidades de negociação e caracterizada a ausência da retomada do fluxo de pagamento.
Esclarecemos ainda que o processo de retomada da garantia é determinado pela legislação vigente, a qual exige a intimação por meio de notificação formal e, em caso de não localização do mutuário, publicação de edital em veículos de comunicação de circulação na cidade do imóvel, práticas que garantem que o mutuário tomou ciência do processo.
Diante da situação de inadimplência não regularizada, a Caixa tem obrigação de cumprir a legislação vigente que rege os procedimentos de alienação fiduciária e hipoteca, dando, inclusive a oportunidade de recompra ao ocupante do imóvel. Por fim, destacamos que o referido imóvel foi vendido em 2004 e que a responsabilidade pela desocupação do imóvel foi do comprador e não da Caixa.
Atenciosamente, Assessoria de Imprensa da Caixa”.