- Está na hora de os Conselhos Tutelares de Feira e o pessoal do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI) justificar o salário.
- A exploração de crianças no centro de Feira de Santana segue sem que os adultos exploradores sejam incomodados.
- O Protagonista mostrou, com exclusividade, a situação no Mercado de Arte Popular (leia mais).
- Matéria compartilhada por vários veículos de comunicação em Feira e em toda a Bahia. Mas parece não ter sensibilizado as autoridades.
- A SEDESO se limitou a emitir nota prometendo intensificar a fiscalização.
- O trabalho dessa gente, às vezes, parece perna de cobra.
- Incompetência e má vontade. Taí a mistura que gera a impunidade.
- E segue a novela do edifício Sarkis. Nada de relatório final, com o diagnóstico definitivo da situação do imóvel.
- Se fosse o barraco de um pobre coitado, por muito menos já teriam jogado no chão.
- Comissão de vereadores e deputados foi ao secretário estadual de Segurança pedir providências para a violência no Centro de Abastecimento e distritos de Feira.
- Não convidaram deputados da base do governo do estado. Zé Neto e Robinson Almeida – que vive gastando sola de tênis aqui em Feira.
- Colbert viaja para a Europa na próxima semana. Só não se sabe, ainda, o dia da viagem. A volta é dia 17.
- Com a iminente saída do PSDB, o ex-deputado Carlos Geílson estará “quase” livre para a tão desejada candidatura a prefeito de Feira em 2020.
- E o cacique estadual de seu novo partido – por enquanto ainda mantido em sigilo – quer, sim, um candidato forte em Feira nas eleições municipais. Vai juntar a fome com a vontade de comer.
- Aos poucos os vereadores feirenses vão anunciando pré-candidatura à reeleição.
- Espera-se renovação superior a 50%. De fato, tem gente na Câmara Municipal que ainda não disse a que foi eleito.
- Tomara que a renovação não seja apenas de caras e nomes. Que sejam eleitos vereadores mais qualificados. Com boas ideias.
- Afinal de contas, ganhar uma fortuna para distribuir título de cidadão feirense, comendas e utilidade pública é muito pouco.
- No orçamento municipal para o exercício 2020, chama a atenção o aumento da verba para a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano (Sedur).
- Pulou de R$ 70 milhões em 2019, para R$ 120 milhões em 2020. Com essa dinheirama nem precisa asfalto pra tapar os buracos.
- Até agora as manifestações de camelôs no centro da cidade só serviram para atrapalhar o trânsito.
- Os verdadeiros camelôs merecem atenção e respeito. Quem tem dez barracas na rua não é camelô. É empresário.

Bola cheia – O amparo da Secretaria Municipal de Saúde às famílias e crianças portadoras de microcefalia.

Bola vazia – As faixas de pedestres apagadas no centro da cidade. Acorda, SMT!

Vou ali, que por hoje só amanhã.