A deputada federal Dayane Pimentel e o marido, Alberto Pimentel, ainda secretário municipal de Trabalho, Esporte e Lazer de Salvador, chutaram o pau da barraca, definitivamente. Não estão mais na base do governo Bolsonaro. Um típico caso da criatura traindo o criador (leia mais).
A decisão foi tornada pública neste sábado (19). Em post intitulado “A verdade sobre a CRISE do Governo Bolsonaro com o PSL”, Alberto Pimentel escreveu “perco tudo, mas não perco a minha honra e nem a minha dignidade”.
Pimentel sugeriu no post “que casos obscuros da legenda devem vir a público”.
“Tem muita água para passar por debaixo da ponte e no fim nada ficará encoberto”, argumentou o marido da deputada.
Segundo Alberto Pimentel, quadros do PSL já estavam revoltados com a direção do governo. Ele também declarou que a mesma bancada foi “sempre leal” a Bolsonaro, mesmo sendo atacada “durante todo esse tempo”.
Em sua conta no Instagram, Alberto Pimentel ainda escreveu o seguinte:
“Aí está um pequeno resumo sobre o que realmente está acontecendo. A bancada do PSL estava realmente muito revoltada depois de 10 meses de conspiração do seu próprio governo contra eles e contra a inteligência dos brasileiros. Vale lembrar que essa bancada foi leal ao governo em tudo durante todo esse período, mesmo sendo atacados pelo seu próprio governo durante todo esse tempo. Tem muita coisa acontecendo que a população não sabe e, na reunião do PSL que foi gravada, fica claro que ninguém ali é traíra: estavam extremamente revoltados com a traição do governo Bolsonaro contra eles e contra o Brasil! Tudo será esclarecido nos próximos dias. Eu sempre preguei que a bancada não deveria tapar o sol com a peneira, para preservar um ambiente de estabilidade, aí agora a bomba estourou e eles estão sendo acusados de traidores sem serem! Tem muita água para passar por debaixo da ponte e no fim nada ficará encoberto. Bolsonaro foi eleito com 55% dos votos, hoje ele tem apenas 30% de aprovação: isso é sinal de que pessoas como eu já notaram que tem algo de errado. Enfim, perco tudo, mas não perco a minha honra e nem a minha dignidade”.
O grande questionamento agora é o seguinte: sem apoio de Bolsonaro, o casal Pimentel o que fará?
Nem a deputada – e muito menos o marido Alberto Pimentel – tem histórico e musculatura política que sustente, de forma coerente, o mandato. Surfaram na onda Bolsonaro e conseguiram sucesso. Mas e agora? Qual caminho a seguir? Ir para a oposição?
Dayane Pimentel manifestou a vontade de ser candidata à Prefeitura de Feira pelo PSL em 2020. Confiando, em boa parte, no apoio de Bolsonaro e da força da máquina federal.
Mas, agora, com o rompimento declarado, Dayane ainda será candidata? Com apoio de quem?
Comenta-se que o casal Pimentel cometeu suicídio político. Embora o prefeito de Salvador, ACM Neto, tenha dito que “essa confusão é do PSL e dos seus membros”, nada, agora, garante a permanência de Alberto no governo municipal em Salvador.
Um grupo feirense, inclusive, está de olhos bem arregalados para os cargos dos Pimentel na Prefeitura soteropolitana. “Essa confusão é do PSL como governo, com o presidente. Eu não tenho nada a ver com isso. Quero distância dela. Quero correr ano-luz dessa confusão aí", disse ACM Neto.