O ex-vereador Marialvo Barreto (PT) vai acionar o Ministério Público para tentar barrar a concessão do Título de Cidadão Feirense ao presidente Jair Bolsonaro e à ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves. O Decreto Legislativo com as indicações é do vereador feirense Edvaldo Lima. Marialvo Barreto acionou o advogado Gabriel Cavalcante, também filiado ao PT, para levar à frente as medidas necessárias para impedir a entrega das duas homenagens na Câmara Municipal de Feira de Santana. O advogado Gabriel entrou em contato com o Protagonista e disse o seguinte:
"Em setembro desse ano a câmara municipal de Feira de Santana aprovou a concessão do título de cidadão feirense para o presidente Jair Bolsonaro e a ministra Damares. Essa semana Professor Marialvo Barreto nos procurou para colaborar com ele na busca para que esses títulos sejam anulados.
O que achamos a respeito da questão? A concessão do título é claramente ilegal. O artigo 388 do regimento interno da Câmara diz, claramente, que o título de cidadão feirense só pode ser dado a quem prestou serviços à comunidade feirense, sejam esses serviços relacionados a educação, arte, desenvolvimento da ciência e outras possibilidades. Quais foram os serviços que Bolsonaro e Damares prestaram a Feira?
Por outro lado, para além da perspectiva legal, achamos que devemos analisar de outra perspectiva. Imagine: Feira de Santana, uma cidade sertaneja, onde é forte a cultura nordestina, prestar homenagem a uma figura que tem preconceito com nordestino, que ofende todo a população do Nordeste não só em discurso, mas por meio de boicote e atos de governo despropositados.
Outra questão importante é que o vereador Edvaldo Lima, de maneiras repetidas, formula propostas desconexas e sem sentido para a realidade feirense, assim como foi a moção de repúdio contra o beijo gay na novela, ou quando ele repudiou projeto de lei do deputado Jean Wyllys, que não existia. A concessão do título para Bolsonaro, e pior ainda para Damares, é mais outra proposta desnorteada desse senhor. Achamos que já chega. Que o lugar da Câmara não é lugar de se fazer piada ou de brincar com o povo de Feira de Santana.
Bolsonaro, hoje, representa a destruição e a miséria do povo brasileiro e do povo feirense. Todas as ações de seu governo vão no sentido da destruição de políticas públicas que favorecem os mais pobres, seja a reforma da Previdência, sejam os cortes brutais que o mesmo pratica contra a Educação.
Nós nos colocamos à disposição para assessor juridicamente o professor Marialvo Barreto, não só provocando o Ministério Público, mas também propondo uma ação popular contra esse absurdo. Se o MP e o judiciário seguirem a legalidade, tenho certeza que esse absurdo vai ser anulado".