O ex-deputado Carlos Geílson está de saída do PSDB, partido no qual esteve no segundo mandato de deputado estadual entre 2014 e 2018. Ele revelou ao Protagonista os motivos para deixar o partido tucano: “porque no PSDB não teria legenda para 2020, como, também, dificultaria as alianças”.
Sobre seu futuro, Geílson prefere não adiantar nada no momento. Mas deixou claro que existem conversas avançadas. "Não vou falar sobre partido agora para não prejudicar as conversas que estão muito boas", acentua.
O Protagonista apurou nos bastidores políticos que Geílson estaria com um pé no forte PSD de Otto Alencar. Uma manobra conveniente. Dessa forma não deixaria o grupo do governador Rui Costa, mas teria caminho livre para pavimentar a candidatura a prefeito de Feira de Santana em 2020, com as bênçãos do senador Otto Alencar.
A alguns blogs e sites, Carlos Geílson declarou que uma eventual entrada no PSD depende do aval do ex-deputado Fernando Torres, presidente da legenda em Feira de Santana.
Indagado sobre este zum zum zum, Geílson preferiu o silêncio.
Com dois mandatos de deputado estadual, Geílson tem pontuado muito bem nas pesquisas até agora divulgadas para prefeito de Feira de Santana. Números que têm injetado altas doses de otimismo nas veias dos aliados do radialista feirense. E dele também.