Com exclusividade ao Protagonista, o diretor municipal de Parques e Jardins, Deodato Peixinho, se pronunciou sobre a denúncia de assédio e importunação sexual feita contra ele pelo casal Daiane de Jesus de Assis, de 29 anos, e o companheiro Sidnei Costa dos Santos, 41 anos. Ele informou que registrou queixa de calúnia e difamação contra ambos.
Deodato registrou a queixa ainda na segunda-feira (14), no Complexo Policial do Sobradinho. “Logo percebi que se tratava de uma armação dos dois”, salienta Peixinho.
O diretor chegou a ser ameaçado por Sidnei, conhecido como Magal. “Ele pegou pedras e ficou em frente à Secretaria de Serviços Públicos me ameaçando, quando eu quis sair para me dirigir à delegacia”, explica.
Peixinho diz que não foi citado ainda pela polícia ou Justiça em relação à denúncia de assédio e importunação sexual. “Por orientação do meu advogado vou me posicionar após ser acionado”, diz.
Quanto à denúncia, Deodato nega, veementemente, que tenha sequer tocado na denunciante. Ele diz ter ficado perplexo. “Eu estava na sala com esta senhora, o companheiro dela e minha secretária. Ele foi apresentar o serviço a ela. Quando ficamos a sós, foi por cerca de 1 minuto. Mal conversamos. De repente ela levantou e saiu. Quando retornou, já foi com o companheiro dela exaltado e me acusando. Ela não falava nada. Ele era quem falava”, relata Deodato.
O diretor diz que não tinha proximidade com o companheiro da servidora, que atua na Prefeitura de Feira de Santana como agente administrativo, e é militante político. “Vivemos em um ambiente político e público. Minha questão é provar que sou idôneo. Não tenho erros em minha vida”, destaca Deodato.
Deodato Peixinho é casado há 37 anos, tem três filhos e quatro netos. “Preso pela honestidade e pela família”, destaca.
Ele diz que em casa está tudo normal, devido à confiança da família em sua conduta. “Passei os áudios para minha esposa e a deixei a par de tudo”, explica.
Em seus cerca de 20 anos no serviço público, o diretor já recebeu vários títulos. Entre eles: comenda do mérito Rio Subaé, comenda pelo aniversário da cidade, amigo do Exército, guardião do meio ambiente, amigo do Corpo de Bombeiros, além de ter sido presidente de um clube de Rotary.
A denúncia - A Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam) de Feira de Santana iniciou na terça-feira (15) a investigação de um suposto crime de assédio e importunação sexual a uma servidora terceirizada da Prefeitura local. O caso, segundo a mulher, ocorreu dentro da Secretaria de Serviços Públicos.
Daiane de Jesus de Assis, de 29 anos, relatou que, na manhã de segunda-feira (14), em seu primeiro dia de trabalho como auxiliar de serviços gerais na Secretaria de Serviços Públicos, foi assediada e importunada sexualmente durante uma conversa com o diretor de Parques e Jardins, Deodato Peixinho.
Ela disse que foi à sala de Peixinho junto com o marido, Sidnei Costa dos Santos, conhecido como Magal, que tem 41 anos e atua na Prefeitura de Feira de Santana como agente administrativo.
“Estávamos nós dois na sala e a conversa estava normal, até que o meu marido saiu para atender a uma chamada no celular e tudo mudou. Ele perguntou se meu marido olhava minhas conversas de WhatsApp, se a aliança no meu dedo seria algum impeditivo, se eu tinha amiga íntima. Disse que se eu quisesse crescer na empresa teria de ser sem restrições com ele. Tomei um susto e me levantei”, contou a denunciante ao jornal Correio.
No momento em que se levantou, continua Daiane em seu relato, Peixinho abraçou-a forte, de modo a encostar seu pênis ereto no corpo da mulher, e tentou beijá-la na boca. “Só que eu virei meu rosto e ele me beijou no canto da boca. Me senti muito mal e saí da sala para encontrar meu marido. Contei logo para ele tudo o que tinha ocorrido quando ele saiu e, então, chamamos a Polícia Militar”, declarou.
A Deam informou que o caso está sendo investigado, sem dar maiores detalhes. A Prefeitura de Feira de Santana informou que será aberta uma sindicância nessa quarta-feira (16) e que, enquanto isso, a Secretaria de Serviços Públicos também aguarda a conclusão do inquérito policial”.