O orçamento da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano para 2020 ganhou um considerável aumento: passou de R$ 70 milhões em 2019, para robustos R$ 120 milhões. Um dinheiro que, certamente, terá boa parte destinada ao serviço importante de tapa-buracos.
Hoje, inegavelmente, as vias de Feira de Santana sofrem com os reflexos da chuva, que este ano caiu com generosidade no município. E todos sabem que chuva é boa para a zona rural, mas um tormento nas cidades.
A TV Subaé, por exemplo, mostra em seus telejornais, todos os dias, ruas e avenidas da cidade esburacadas. População indignada. A resposta da SEDUR é sempre a mesma: esperar a chuva dar uma trégua para tapar a buraqueira.
Na manhã desse sábado (5) um flagrante que reflete a impaciência da comunidade. Carroceiros tapavam buracos na avenida ACM, importante artéria que liga o bairro Cidade Nova à avenida Fraga Maia.
O material usado era entulho. Alheios à movimentação intensa de veículos, os dois carroceiros seguiam realizando o serviço, que é de responsabilidade do poder público.
Questionados sobre quem ordenou e pagou o serviço, os carroceiros afirmaram que seria a Prefeitura. O Protagonista manteve contato com o secretário José Pinheiro, de Desenvolvimento Urbano. Ele negou ter contratado os carroceiros.
Ligamos, também, para o chefe de Gabinete da Secretaria Municipal de Serviços Públicos, Deibson Cavalcanti. Ele também negou que a SESP contratou os carroceiros para executar o serviço.