O laudo que vai apontar o que provoca o aquecimento do piso em uma casa na rua Alcides Fadiga, bairro Queimadinha, deverá ser apresentado dentro de 15 dias pela Secretaria Municipal do Meio Ambiente e Recursos Naturais (Semmam). O problema está sendo analisado por uma empresa contratada pelo órgão da Prefeitura Municipal.
Há duas semanas, técnicos da Semmam acompanham o caso. A situação atrai a curiosidade de muitos moradores da rua e até do bairro. O chefe do Departamento de Educação Ambiental, João Dias, relaciona o problema à construção do imóvel em Área de Proteção Ambiental (APA). “No local existia a Lagoa do Prato Raso, que foi aterrada pelas ocupações irregulares”, afirma.
Ele ressalta que há alguns anos, situações semelhantes foram constatadas nos bairros Serraria Brasil e Santa Mônica II, quando um imóvel cedeu e o outro foi invadido por baratas e ratos, respectivamente.
“Há risco de outras construções em área de lagoa cederem no futuro nos bairros Rocinha (Lagoa Grande), Santo Antônio dos Prazeres (Lagoa Juca Campelo), Conceição (Lagoa da Pedreira), e em outros pontos da Lagoa do Prato Raso, na Queimadinha”, pontua.
(Foto e informações da Secom)