“Foi cometido crime de racismo contra todos os negros. Não foi contra uma única pessoa”. A declaração é do advogado do Conselho Municipal de Comunidades Negras e Indígenas de Feira de Santana, Albertone Amorim, representante da OAB no Conselho. Ele se refere ao anúncio de cunho racista creditado a uma lanchonete, em rede social, para contratação de atendente, “com experiência e de pele clara” (leia mais).
Nesta terça-feira, às 15h, está programada uma reunião entre todos os conselheiros e o advogado Albertone Amorim, para definição de algumas ações sobre o caso.
“Mas, de antemão, vamos levar o caso ao Ministério Público Estadual e ao Ministério Público do Trabalho para que o comerciante ou se retrate ou apresente provas de que ele não foi responsável pelo anúncio, como afirma”, explica Albertone.