Após 21 anos, Feira de Santana tem um caso confirmado de sarampo. A informação é da Vigilância Epidemiológica. A Prefeitura, através da Secretaria Municipal de Saúde, agiu rápido e adotou as providências.
Este ano já foram notificados 42 casos suspeitos para a doença, sendo 22 descartados, 19 em investigação e um confirmado.
O primeiro caso, que só foi divulgado nesta quarta-feira (6), foi confirmado no dia 29 de outubro em um homem adulto não vacinado, com história de viagem a um município baiano.
No mesmo dia da notificação, a Secretaria Municipal de Saúde, através da Vigilância Epidemiológica, assim como em outros casos notificados, realizou o bloqueio vacinal de todas as pessoas que tiveram contato direto com o paciente, conforme o período recomendado pelo Ministério da Saúde.
Inquérito vacinal casa a casa, varredura, e intensificação vacinal dos moradores na área geográfica também foram realizados. Atualmente a equipe se encontra realizando o monitoramento dos contatos diretos e indiretos do paciente.
A coordenadora da Vigilância Epidemiológica, Francisca Lúcia Oliveira, lembra que em agosto foi realizada uma intensificação vacinal contra o sarampo e no mês de outubro a primeira etapa da campanha nacional de vacinação contra o sarampo. "A vacina é a única maneira de evitar a doença, que possui morbimortalidade em crianças menores de cinco anos de idade”, enfatizou.
Em 2019, de janeiro a agosto, foram vacinadas 24.144 pessoas, segundo dados do Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunizações. Destes, 9.754 são crianças de seis meses a menores de cinco anos e 3.569 são adultos de 20 a 29 anos de idade.
Vacinação - Em Feira de Santana a segunda etapa da campanha nacional de vacinação inicia no dia 18 e segue até o dia 30 de novembro para jovens adultos não vacinados de 20 a 29 anos de idade.
Todas as unidades básicas de saúde se encontram abastecidas com a vacina e os profissionais estão à disposição de segunda a sexta-feira. “A vacina é gratuita e faz parte do calendário de vacinação”, salienta Francisca.
A coordenadora da Vigilância Epidemiológica ressalta que o governo do prefeito Colbert Martins Filho se mantém em alerta sensibilizando os profissionais através de capacitações, trazendo mais eficiência nas notificações de casos suspeitos.
A doença - O sarampo é uma doença respiratória, exantemática aguda e extremamente contagiosa, que pode evoluir com gravidade e causar complicações como pneumonia e encefalite. A transmissão ocorre de pessoa a pessoa por meio de secreções expelidas ao tossir, espirrar, falar.
O sarampo é transmitido seis dias antes e quatro dias após o aparecimento de manchas vermelhas (exantema), sendo o período de maior risco dois dias antes e dois dias após o início do exantema.
Sintomas - Os sintomas do sarampo são: febre alta, tosse seca, conjuntivite, coriza, e manchas vermelhas no corpo. Pessoas que apresentarem esses sintomas devem procurar a unidade de saúde para avaliação clínica. Salientamos que, nesse caso, evitem a circulação em locais com aglomeração de pessoas.
Os casos suspeitos são orientados a manter isolamento em domicílio até quatro dias após início do exantema.
(Informações e foto: Secom)