CURTA AS CURTAS

- Para esclarecer: O desconto do vale transporte estabelecido por lei é de 6% do valor do salário do trabalhador que optar pelo benefício. Logo, para alcançar um desconto de R$ 300 reais no salário o trabalhador teria que, mensalmente, ganhar R$ 7 mil reais.
- O trabalhador que tiver vencimento estipulado em um salário mínimo e aderir ao benefício do vale transporte terá descontado somente o valor aproximado de R$ 70 reais do seu salário. Se abrir mão, não terá desconto algum do salário e o patrão ficará livre de pagar a diferença. O benefício do vale foi criado para ser utilizado no sistema regular de transporte público municipal.
- Muita gente desinformada ou mal intencionada pegando carona do populismo, mas sem conhecer a lei.
- Após matéria do Protagonista (leia mais) sobre a inércia da Comissão de Saúde da Câmara Municipal, a vereadora Neinha pediu pra sair.
- Ela era a única da comissão com atuação no setor de saúde.
- Lulinha e Zé Filé querem a vaga na comissão.
- Aliás, nossa nobre Câmara Municipal tem muito vereador despreparado para a legislatura.
- REDA da SEDESO terá provas em 22 de dezembro. Inscrições seguem até o próximo dia 20 de novembro.
- Vereadores exigem instalação de semáforos na avenida Contorno. Pedem à SMT. Demanda não seria do Denit?
- Mídia do governo do estado em Feira, só para a turma do copia e cola. Com raras exceções, é claro.
- Mas só veem a cor do dinheiro seis meses depois. E quando chega. Tem gente que ainda não recebeu de campanhas do Carnaval. Calote tamanho G.
- Por falar nisso, por onde anda o interlocutor do governo estadual e a imprensa feirense?
- O vereador Roberto Tourinho é, sem dúvida, um dos quadros mais preparados da Câmara Municipal de Feira. A oposição sempre tem mais o que falar. Ser pedra é mais fácil que ser telhado.
- Porém, em relação à Central Estadual de Regulação, Tourinho, acho, cuspiu pra cima.
- Elogiar a “democrática” fila de espera, no mínimo é brincar com o sofrimento alheio.
- Vereador, inteligente como vossa excelência é, não deveria ser difícil de entender que uma cirurgia ortopédica é menos urgente que uma no cérebro. Ou não?
- É justo o paciente com diagnóstico de cirurgia cerebral morrer na fila enquanto o paciente que quebrou a perna é operado, só por causa da ordem “democrática” da tal Regulação?
- Seria bom que o vereador e sua assessoria façam uma visita a pacientes que sofrem em casa ou em uma cama de hospital, aguardando serem regulados pelo governo do estado.
- Quem sabe não se sensibilizam a tentar intervir junto ao aliado governo estadual...
- Visitem os vivos, porque os muitos que já morreram na “fila da morte” vocês não vão encontrar.
- Perguntar não ofende: o Shopping Popular travou?
- E a Academia Feirense de Letras segue ocupando uma sala vazia no Mercado de Arte. Até quando?
- Nesse sábado (16) tem Maryzélia de novo no Mercado de Arte. Talento e beleza lado a lado.

Nota 10 – A postura coerente da vereadora Neinha Bastos, ao deixar a Comissão de Saúde da Câmara.
Nota 0 – Vereador Roberto Tourinho, que elogia a exterminadora e cruel Central Estadual de Regulação, a “fila da morte”.

Vou ali, que por hoje só amanhã