Fim do mistério. O material descartado na estrada do povoado de Carro Quebrado, distrito de Maria Quitéria, no fim de semana (leia mais) trata-se de leito de secagem e não é tóxico. Após investigação da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e divulgação da foto da carreta pelo Protagonista (leia mais), a empresa responsável pelo descarte foi identificada e será multada.
Segundo o secretário municipal de Meio Ambiente, Arcênio Oliveira, a Secretaria investigou as empresas que trabalham com o produto. “Investigamos as empresas que poderiam trabalhar com o material. Além disso, os diretores da empresa viu a foto da caçamba divulgada no blog O Protagonista e também ficaram sabendo da situação”, informa o secretário.
Ainda conforme Arcênio, a direção da empresa – ele não quis revelar o nome -, afirmou que o descarte foi acidental. “Falaram que a tampa traseira da caçamba abriu e o material caiu. O motorista não informou, segundo eles, o acidente à empresa”, acentua o secretário. Embora o secretário tenha evitado citar o nome, o Protagonista apurou que se trata da empresa Bioóleo Bahia, localizada às margens da BR 324, em Feira de Santana.
Material – O leito de secagem é um processo simples e eficaz na desidratação de lodo.  Esta superfície, normalmente de areia, possui substratos permeáveis que permitem a percolação da água, resultando em um lodo com teor de água reduzido e pronto para destinação. Daí a origem do forte mau cheiro exalado. É uma espécie de borra.
Multa – Em função de a infração ser branda, pois o material não causou danos ao meio ambiente e não é tóxico, a multa deve ficar entre R$ 500 e R$ 3 mil reais, como prevê o Código de Meio Ambiente. “Ainda vai ser definido o valor”, explica Arcênio.
O secretário faz questão de enfatizar que não se trata de material tóxico: “Evidentemente que não se deve manusear o produto, mas a população local pode ficar tranquila que não é material tóxico”, conclui.