Uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) de Feira de Santana permaneceu várias horas retidas no pátio do Hospital Geral Clériston Andrade à espera da liberação da maca, que foi levada para dentro do HGCA com um paciente. Como se não bastasse, uma ambulância do distrito de Bonfim de Feira também ficou retida. Situação comum, segundo fontes da Secretaria Municipal de Saúde.
De acordo com informações da SMS, a ambulância do SAMU chegou ao HGCA por volta das 11h30min dessa quinta-feira (28) – não passaram informações sobre o paciente.
Após os maqueiros do Clériston levarem o paciente para dentro da unidade, foi solicitada pela equipe do SAMU a liberação da maca.
O que não aconteceu. “O chefe do plantão não deixou. Devido à necessidade a equipe retornou para a base agora à tarde, sem a maca”, diz um funcionário.
Uma situação que se repete há anos. “Já aconteceu de ficarem quatro, cinco ambulâncias do SAMU retidas no Clériston Andrade à espera da liberação das macas das unidades”, diz uma fonte da SMS.
“Seguraram a ambulância de Bonfim sem necessidade, desde as 11h, até as 18h. Fazem isso para que o veículo não retorne ao distrito e leve outros pacientes para o Clériston. Faz por pirraça”, informou ao Protagonista uma profissional de saúde de Bonfim.
No caso do Hospital Clériston Andrade parece que não adianta mudar a casca, porque as práticas continuam as mesmas. Certamente a direção do hospital não tem conhecimento desse procedimento irregular e "pirracento" de seu chefe de plantão.