A sessão da última quarta-feira (27) trouxe um exemplo contrário do papel de uma oposição responsável em um município. Em mais um duelo com a base governista, vereadores da oposição atacaram o SAMU. Até aí tudo normal, se a denúncia não fosse uma tremenda forçação de barra.
O vereador Roberto Tourinho afirmou que Feira de Santana, na segunda (25) e terça-feira (26) contou apenas com duas ambulâncias no SAMU para atender a todo o município. E desafiou a base governista a conferir a situação dos veículos na base central da unidade. Zé Filé, que também faz a linha do “quanto pior, melhor”, criticou a situação, mesmo sem conhecimento de causa.
O vereador Lulinha (DEM) saiu em defesa do governo e rebateu as críticas. “Tourinho faltou com respeito para com os colegas. É preciso entender que não há subordinados dele aqui no Plenário. Por que ele não fala que as ambulâncias ficam presas no HGCA por conta das macas que ficam retidas? Por que não fala que há bases do SAMU em pontos da cidade que também precisam de ambulâncias? Por que não fala que estas ambulâncias foram disponibilizadas pelo Governo Federal, há cinco anos, e os carros precisam de manutenção?”, rebateu Lulinha.
Os argumentos de Lulinha são verdadeiros. Existem bases do SAMU espalhadas na cidade. Cada uma com uma ambulância. E veículo com cinco anos de uso necessita de manutenção. Principalmente quando a demanda é grande, como é o caso das ambulâncias do SAMU. 
Os vereadores Tourinho e Zé Filé deram mais um exemplo de denúncia sem base. Esqueceram de mencionar o principal motivo de falta de ambulância do SAMU na base: o Hospital Geral Clériston Andrade há anos retém ambulâncias do SAMU, municípios e distritos, segurando as macas que entram na unidade com pacientes. Uma ação inexplicável e absurda. Na quinta-feira (28), o Protagonista mostrou um (mau) exemplo disso (leia mais).
Vale ressaltar que o trabalho de uma oposição responsável em qualquer Câmara Municipal é fundamental para a garantia dos direitos dos cidadãos e fiscalização às leis e ao Executivo. O próprio vereador Roberto Tourinho, ao longo dos seus sete mandatos na Câmara, tem serviços prestados ao Município. Mas, ultimamente, tem acertado mais a ferradura que o cravo.
Agora, se um dia os vereadores da oposição descobrissem que uma ambulância, por exemplo, passa um ou dois meses apodrecendo em uma oficina mecânica, esse sim seria um serviço para a comunidade.