De forma irresponsável, a direção da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Governo do Estado, localizada ao lado do Hospital Geral Clériston Andrade, suspendeu atendimento ao público para casos clínicos. Foi na manhã dessa terça-feira (19), e gerou muita reclamação e aumento da demanda em equipamentos municipais.
Segundo pacientes que procuraram a UPA e entraram em contato com o Protagonista, funcionários informaram que o atendimento clínico estava suspenso. E com a falta de educação costumeira na unidade. “Disseram que era por excesso de demanda”, disse, indignada, a dona de casa Lindaura Santana, que levou o filho de 18 anos para ser atendido, com forte dor de cabeça e vômito.
Enquanto isso, com a porta fechada na cara, pacientes e seus familiares procuraram unidades municipais, como UPA da Queimadinha, Mangabeira e Policlínicas. Aumento de demanda confirmado por funcionários da Secretaria Municipal de Saúde.
O Protagonista tentou contato com a direção da UPA Estadual, mas não conseguiu. Porém, o blog confirmou com um funcionário da UPA que realmente aconteceu a suspensão.
Será que suspender atendimento é a solução governador e da Secretaria Estadual para resolver os problemas na saúde do estado?
Só para lembrar: o jovem Reinaldo Machado segue lutando pela vida em um leito no Hospital Dom Pedro, aguardando uma vaga na UTI do Clériston Andrade há quase três meses (leia mais).