De vez em quando alguém fala alguma coisa interessante na tribuna da Câmara Municipal. Nesta terça-feira (12) o vereador Cadmiel Pereira (PSC) sugeriu relocação do Centro de Abastecimento, da Prefeitura, da Câmara e do Terminal Rodoviário de Feira de Santana.
Cadmiel também criticou o Governo do Estado pela inclusão das obras do Centro de Convenções e aeroporto. “Ou Feira de Santana tem coragem para passar por uma revolução administrativa, urbanística, ou a segunda cidade da Bahia, 34ª maior cidade do país, a cidade reconhecida por lei como sede de região metropolitana, continuará com características de cidade provinciana. Não podemos continuar reféns de ter a Prefeitura no centro da cidade e secretarias espalhadas em bairros diversos. Nós precisamos da congregação dos órgãos públicos em um só lugar. Precisamos de um Centro Administrativo para Feira, mais que urgente”, pontuou Cadmiel.
“Mobilidade urbana requer inteligência. Não cabe mais a Câmara de Vereadores neste lugar. Ou mudamos ou não dá certo. Não temos estacionamento e acomodação suficientes nesta pequena estrutura. A população cresceu  e a cidade precisa acompanhar esse crescimento”, avaliou.
Para o vereador, o Centro de Abastecimento e o Terminal Rodoviário também devem ser relocados. “O entreposto comercial não comporta mais naquele local. Temos que fazer um Centro Atacadista, precisamos de uma nova Ceasa. Feira não abastece menos de 4 milhões de habitantes em alimentos. Não podemos mais ter a Rodoviária na avenida Presidente Dutra. Temos que oferecer capacidade de mobilidade e fluxo. É preciso relocar a Rodoviária, a Prefeitura, a Câmara e o Centro de Abastecimento. Só ficamos reformando, puxando daqui e dali”, observou.
Para finalizar, Cadmiel cutucou o governo do estado. “Não temos investimento para o aeroporto e o Centro de Convenções. A grande cidade de Feira precisa de respeito. Se colocasse voo Feira- Brasília, quantos vereadores, prefeitos, deputados iriam fretá-los? Acabaria com essa questão de ter que ir para Salvador para chegar a Brasília. Mas, eles não gostam de Feira, não querem ver Feira crescer. Ficam de brincadeira com nossa cidade. Se depender de ‘Ruim Costa’ não vamos ter nada. Somos uma cidade grande que não tem grandes obras. Feira precisa de, no mínimo, duas sub-Prefeituras; Salvador tem nove”, finalizou.