Segundo o deputado federal Zé Neto, vereadores, comerciantes e até o próprio prefeito Colbert, já ligaram para ele perguntando sua opinião a respeito de uma possível transferência da Estação Rodoviária de Feira de Santana.
O deputado ligou para o Protagonista para opinar sobre a possibilidade de mudança do equipamento. O prefeito Colbert já se pronunciou sobre o tema. Na Câmara, esta semana, o vereador Cadmiel abordou o assunto.
“A todo momento vereadores, o próprio prefeito e comerciantes me ligam, me questionam o que é que eu acho.  Primeiro, eu acho que não se deve mudar nada de lugar em Feira sem saber para onde vai levar o que vai ser mudado. Porque nós temos o pior transporte coletivo do país, depredado, mal estruturado, inclusive nascedouro de uma clandestinidade que é, na verdade, uma espécie de defesa da população para chegar ao seu trabalho, a sua universidade, a sua escola, ao seu dia-dia, enfim, a se movimentar na cidade”.
O petista recomenda ouvir a população, antes de qualquer mudança sobre a Estação Rodoviária, há décadas localizada na avenida Presidente Dutra. “Acho que nessas coisas relacionadas a mudanças de qualquer órgão público, ou qualquer empresa pública, ou qualquer ente público, é preciso ouvir quem serão os afetados. Eu não me acho com autoridade de dizer muda isso, muda aquilo, sem ouvir as pessoas. Por exemplo, ao tirar a Rodoviária dali, vamos botar aonde? Para onde vai a Rodoviária, terá transporte suficiente? E o que iria funcionar no lugar da Rodoviária, para suprir todo aquele comércio, toda aquela estruturação, todo aquele volume de pessoas que circulam aquela área e, de certa forma, abastece e muito aquele comércio e toda aquela prestação de serviço que existe ao redor?”, questiona o pré-candidato do PT a prefeito de Feira.
“Portanto, eu acho que essas questões devem passar por um debate mais trabalhado, um debate mais consistente, mas antes de qualquer debate para mudar qualquer coisa na cidade, é preciso discutir o transporte coletivo, pois a cidade assiste uma deficiência no transporte”, concluiu o deputado.