Considerado o templo do sexo barato em Feira de Santana, o famoso Beco da Energia recebeu uma visita importante essa semana. Profissionais de saúde da Prefeitura realizaram testes rápidos para detecção de HIV e Sífilis no local. Calcula-se existir hoje cerca de 1 mil profissionais do sexo atuando na cidade.
Conhecido na cidade por concentrar profissionais do sexo, o Beco da Energia é bastante frequentado. Por isso a Secretaria Municipal de Saúde levou atividades referentes à campanha Novembro Vermelho ao lugar. O objetivo é conscientizar as pessoas sobre as infecções sexualmente transmissíveis.
Uma vez detectado o HIV, é necessário fazer a terapia antirretroviral com uso do coquetel para ficar com carga viral indetectável. “Se uma pessoa tem uma carga viral indetectável por mais de seis meses e está usando o remédio corretamente, não passa mais o HIV para ninguém”, afirma o enfermeiro Valterney Morais, do Centro Municipal de Referência em Infecções Sexualmente Transmissíveis/HIV/AIDS.
A ação realizada no Beco da Energia teve o intuito de alcançar as chamadas populações chaves, que são pessoas com risco maior comparado com a população geral, como as profissionais do sexo, transexuais e gays. 
Tatiane Sacramento, ex-presidente da antiga Associação de Profissionais do Sexo de Feira de Santana (APROFS), destacou a importância de levar essa ação até o Beco. “As meninas aqui têm muito mais dificuldade de ter acesso a essas ações do que a própria sociedade em si, então é importante para que elas fiquem sempre atentas. Para elas o uso do preservativo é uma negociação e elas têm essa consciência”.  
Tatiane estima que existam hoje cerca de mil profissionais do sexo trabalhando em Feira de Santana. Ela acredita que por a cidade ter o maior entroncamento rodoviário do Norte-nordeste, a maioria dessas profissionais vem de fora. 
Rosenilda Oliveira é um exemplo disso. Vinda de Araçatuba, no interior de São Paulo, ela trabalha em Feira como profissional do sexo há 15 anos e disse que foi fazer o teste porque é importante saber se contraiu HIV no trabalho que exerce.
Sergio Costa é mecânico e também foi fazer o teste. Para ele, é fundamental estar com exames em dia, mesmo com o uso da camisinha. “Eu tenho vários relacionamentos e apesar de usar sempre o preservativo, é uma coisa que a gente sempre precisa saber”, acentua.
Ele contou que faz os exames anualmente e já esteve diversas vezes no Centro Municipal de Referência em Infecções Sexualmente Transmissíveis/HIV/AIDS. O mecânico elogiou a iniciativa do Governo Municipal. “Parabéns para a área de saúde, é isso aí que tem que fazer sempre. Eu agradeço cada vez mais à Secretaria de Saúde”.
Durante todo o mês de dezembro serão realizadas ações pontuais de prevenção e diagnóstico do HIV/AIDS. No entanto, quem não puder participar dessas ações pode procurar o Centro Municipal de Referência em Infecções Sexualmente Transmissíveis/HIV/AID durante todo o ano para fazer testes rápidos gratuitamente.

(Foto e informações: Secom)