Nem bem assumiu o Fluminense de Feira e o deputado estadual Tom já está às voltas com uma polêmica com o radialista Sotero Filho, da rádio Subaé. Em um grupo de WhatsApp ligado ao tricolor feirense, o parlamentar-dirigente soltou o verbo contra o profissional de imprensa, cobrando imparcialidade.
Em contato com o Protagonista, Sotero explicou que tudo começou quando o deputado denunciou a retirada da tv por assinatura de dentro do CT do Fluminense, por parte de um ex-dirigente. “Da forma que ele (Tom) colocou no grupo, ficou parecendo que a retirada do equipamento foi de má fé. Na verdade, os pontos da Sky eram do ex-dirigente. Embora tenha sido de forma deselegante a retirada, sem avisar, era dele e eu fiz esse esclarecimento no grupo, o que acabou desagradando ao deputado”, conta Sotero.
Aí o clima esquentou de vez entre o radialista e o deputado. “Ele postou alguns áudios direcionados a mim. Cobrando entrevista e insinuando que eu estava defendendo o errado, além de me atacar”, acentua Sotero.
Em um dos áudios, Tom questiona o caráter de Sotero. “Já vi que pra você não tem jeito, Soterinho. Até duvido do seu caráter. Você precisa me entrevistar pra saber a situação do clube. Tenha personalidade pra isso. Agora você tem que se enquadrar. Não tem nada a ver retirar (a antena). Tirei a Sky do quarto de minha filha e levei para o CT. Seja pelo certo. Já estou me cansando. Você dando ‘pitaco’ no grupo sem saber a situação do Fluminense. Se você for homem de botar no ar, faça as perguntas que digo como encontrei o Fluminense. Mas você precisa ter caráter. Não fique com picuinha no grupo. Me procure. Seja homem, rapaz”, disparou Tom.
Sotero rebateu o deputado. “Levei ele para o Subaé Notícias e para o Jornal dos Esportes, programas que participo. Como ele vem agora e diz que eu não dou espaço para ele falar da situação do Fluminense”, questiona.
Antes de se retirar do grupo, Soterinho postou a seguinte nota: “para o senhor, como presidente e deputado, não fica bem essa postura para comigo. Nunca lhe faltei com o respeito”.
Coletiva à imprensa – Em contato com o Protagonista, o deputado Tom afirmou que não quer polêmicas. “O momento é de união. Vamos ajudar o clube. Vamos programar uma entrevista coletiva para apresentar a real situação administrativa do Fluminense. Mas já adianto que não é nada fácil. Então, não devemos encobrir essa situação. Todo dia chega uma ação trabalhista. Nesse momento já são cerca de R$ 2 milhões de ações para pagar, além de salários atrasados”, revela o presidente do Flu.
“Todo mês haverá prestação de contas no Fluminense. O clube não é meu, é da comunidade e tem que ser gerido com transparência e responsabilidade”, afirma Tom.