O ex-deputado estadual e atual Ouvidor Geral do Estado, Carlos Geílson, confirmou ao Protagonista nesta segunda-feira (6) que vai se filiar ao Podemos (19), deixando o PSDB. A filiação foi definida no dia 2 de janeiro, após uma reunião com João Carlos Bacelar, comandante da legenda na Bahia.
O  Podemos é o ex-PTN, onde Geílson conseguiu os dois mandatos de deputado estadual – 2011 a 2018.
Demonstrando satisfação, Carlos Geílson diz que retorna para onde nunca deveria ter saído. “No Podemos teremos liberdade para construir. Não fui feliz no PSDB. Não me encaixei. Chego com voz e sem ter que estar com ninguém. Agora vamos definir o que faremos em Feira em relação ao fortalecimento do partido, com um grupo forte de candidatos a vereador”, explica.
Em Feira de Santana o Podemos é comandado por Silvio Dias, coordenador da Ciretran e figura bem próxima do deputado Zé Neto, portanto da base do governador Rui Costa, onde Carlos Geílson tem espaço reduzido.
Mas Geílson entende que há liberdade de posicionamentos divergentes no Podemos. “Na Bahia o Podemos comanda a ADAB – órgão estadual. João Carlos Bacelar, o presidente, é oposição a Jair Bolsonaro, mas uma parte do partido é bolsonarista. Existe convivência. Portanto, a diversidade de opiniões e posturas politicas é uma característica do Podemos”, destaca Geílson.
Carlos Geílson trabalha para ser candidato a prefeito de Feira de Santana agora em 2020. Nas pesquisas aparece empatado, tecnicamente, na segunda colocação com o prefeito Colbert e o deputado Targino Machado. O primeiro colocado é o deputado federal petista Zé Neto.