O servidor público municipal Sidnei Costa dos Santos, conhecido como Magal, marido de Daiane de Jesus de Assis, entrou em contato com o Protagonista para falar sobre a exoneração de José Deodato Peixinho, acusado por Daiane de ter cometido assédio sexual dentro da Secretaria Municipal de Serviços Públicos. Magal e a mulher estão aliviados, “porque a justiça foi feita e todos agora sabem que a denúncia é verdadeira”.
“A gente não estava focado na exoneração dele. Estávamos preocupados em provar a verdade”, diz Magal.
Segundo ele, o casal chegou a ser vítima de comentários maldosos. “Algumas pessoas do meio político e também da sociedade fizeram comentários maldosos, dizendo que foi minha esposa quem se insinuou para este senhor”, revela.
“Ficamos aliviados não com a exoneração, mas pelo fato de provar que ele já tinha esse comportamento, esse desvio de conduta. Conseguimos provar na Polícia Civil com os depoimentos de outras mulheres vítimas deste senhor”, afirma.
Para Daiane, agora é tocar a vida. “Isso é o que importa. Provamos que falamos a verdade e agora vamos seguir nossa vida”, acentua.
Daiane votou ao trabalho em dezembro, na Secretaria Municipal de Serviços Públicos. Ela ficou quase 2 meses sem trabalhar, à espera da conclusão das investigações.
As outras testemunhas relataram assédio sofrido pelo ex-diretor, mas não quiseram registrar queixa. Segundo Magal, cerca de dez mulheres foram à polícia e relataram terem sido vítimas do mesmo tipo de abordagem.
A exoneração do diretor não impede que o processo criminal prossiga. O inquérito foi encaminhado ao Ministério Público, que acata ou não a denúncia da Policia Civil.
(Foto: álbum de família)