Enfim, após sete meses, o inseticida malathion, usado no combate ao mosquito aedes aegypti na fase adulta e reprodutiva, foi repassado pelo governo federal à Prefeitura de Feira de Santana – desde julho do ano passado não havia repasse do veneno. São 40 litros do veneno. E só dá para um mês de uso.
A aplicação do inseticida vai completar o trabalho realizado no combate contra o mosquito, que vinha sendo feito com a aplicação de larvicida em locais onde foram constatados acúmulo de água, principalmente dentro das residências.
O produto é usado nos procedimentos conhecidos como fumacê, que é a sua aplicação mecânica nas ruas dos bairros onde os índices de infestação predial estão acima dos tolerados pelas autoridades epidemiológicas, que é de até 1% dos imóveis.
O aedes transmite a tripla infecção: zika, chinkungunya e dengue e o inseticida contribui para quebrar a cadeia reprodutiva do inseto na sua fase adulta de vida – o ciclo da fêmea é de 30 dias e põe entre 60 e 120 ovos em cada uma das três, ou mais, das suas fases reprodutivas.
O coordenador da Divisão de Endemias da Secretaria de Saúde, Edilson Matos, afirmou que o órgão vai iniciar os bloqueios, por meio de bombas costais, que considera estar atrasados. A quantidade, diz, dá para trabalhar durante um mês. “Mas já fizemos o pedido de novo repasse”.
Diz, também, que os locais já estão definidos – aqueles que apresentam maiores índices de infestação predial, como a Cidade Nova e a Serraria Brasil.
(Foto: Secom)