O PSOL define até o mês de fevereiro o nome do seu candidato a prefeito de Feira de Santana. A decisão deveria ter saído até outubro do ano passado, mas uma agenda redirecionada alterou os planos da direção municipal do partido.
De acordo com o professor e historiador Jhonatas Monteiro, o PSOL terá candidato a prefeito em Feira, com certeza. A dúvida é se será ele ou outro nome.
“A discussão política no final de 2019 foi adiada por conta do envolvimento do partido nos protestos contra a reforma da Previdência, cortes na educação pelo governo do estado e a temática local do transporte coletivo, alvo de insatisfação”, explica Jhonatas. 
Ainda de acordo com ele, o PSOL está em fase de montagem da chapa proporcional – candidatos a vereador. A partir desse mês de janeiro as discussões sobre majoritária – candidatura a prefeito - entram na pauta com mais ênfase. “Não está descarado nosso nome para encabeçar a chapa majoritária. Avaliamos que o cenário é favorável à candidatura”, destaca.
A outra opção avaliada é ter Jhonatas Monteiro como candidato a vereador. Neste caso o PSOL buscaria uma histórica