O comércio e o setor de serviços em Feira de Santana sentem o duro impacto da presença do coronavírus no município. Desde a segunda-feira passada (16) o cenário é desolador: lojas vazias.
No comércio formal, os shoppings centers têm acusado mais o golpe desferido pelo coronavírus na economia feirense.
O que se vê nos milionários equipamentos são corredores e lojas vazios. As salas de cinemas fechadas e o temor pelo contágio com o vírus afastam clientes.
No centro da cidade as casas comerciais, com algumas poucas exceções, só têm vendedores mais preocupados em fugir da doença do que em vender alguma coisa.

Outro exemplo desse impacto devastador do coronavírus na economia feirense está no Feiraguai. Com grande presença de empresários asiáticos, o local anda vazio.
A persistir este quadro, demissões, inicialmente, são inevitáveis, avaliam empresários. Para o fechamento de empresas e lojas é um passo.