Após muitos questionamentos nas redes sociais, com pessoas questionando o motivo das autoridades de saúde não divulgarem os bairros onde residem os pacientes testados positivos para coronavírus em Feira de Santana, o Protagonista ouviu o promotor público Audo Rodrigues. Segundo ele, "a determinação está contida na Constituição Federal, que protege o direito à intimidade". "Além disso, o gestor pode ser responsabilizado. Temos casos em Feira que mesmo não tendo sido divulgados, os pacientes sofreram com populares inconsequentes", diz. A seguir, entrevista completa com o promotor.
O Protagonista - É do Ministério Público a orientação/determinação para as autoridades de saúde em Feira de Santana não divulgarem os bairros onde temos casos positivos de coronavírus?
Promotor Audo Rodrigues - A determinação está contida na Constituição Federal que protege o direito a intimidade.
O Protagonista - Mas em Salvador e outras grandes cidades do país são divulgados os bairros onde moram as vítimas...
Promotor Audo Rodrigues - O gestor pode ser responsabilizado. Temos casos em Feira que mesmo não tendo sido divulgados, os pacientes sofreram com populares inconsequentes.
O Protagonista - Então é uma recomendação do MP em Feira?
Promotor Audo Rodrigues - Não houve recomendação nenhuma do Ministério Público.
O Protagonista - Se fossem divulgados os bairros em Feira seria uma ação irregular?
Promotor Audo Rodrigues - Você apenas está me perguntando a minha posição e porque a Secretaria Municipal de Saúde não está divulgando. Eu informo que deve ser por isso. Se nem os presos podem ter sua intimidade violada, imagine os pacientes vitimados por qualquer doença...
O Protagonista - Entendo, promotor. Mas estamos nos referindo aos bairros. Nas redes sociais há um clamor por esta divulgação em Feira...
Promotor Audo Rodrigues - ... além disso, há um código de ética médica que impede a divulgação.