Está suspensa por tempo indeterminado a desocupação do centro comercial da cidade, determinada pela prefeitura em edital publicado em 29 de fevereiro (leia mais). Camelôs e barraqueiros deveriam desocupar ruas e avenidas centrais até o último domingo, mas ganharam tempo devido ao coronavírus.
“Devido ao Decreto de Calamidade Pública Municipal e do isolamento social nos decretos de fechamento do comércio, a Secretaria de Desenvolvimento Econômico postergou a transferência de camelôs para Centro Comercial Popular, por tempo indeterminado. O momento é de ficar em casa”, destaca o secretário Antônio Carlos Borges Júnior.
Não seria mais permitida a presença de barracas nas seguintes ruas e avenidas: Sales Barbosa, Senhor dos Passos, Recife, Hermínio Costa, Getúlio Vargas, Marechal Deodoro, Conselheiro Franco, Visconde do Rio Branco, Barão de Cotegipe, Papa João XXIII e Olímpio Vital.
Também as praças Nordestino, Bernardino Bahia, Eduardo Froes da Mota e do Tropeiro. Mais as travessas General Pedra, Vitorino Gouveia, Benjamin Constant, Libânio de Moraes, Monoel Viturino, Beco do Mocó e Leonardo Borges.