“Quer aparecer, então pendura uma melancia no pescoço e vai desfilar na feira livre”. Dessa forma o ex-deputado e radialista Carlos Geílson (Podemos) reagiu à presença do deputado federal Zé Neto (PT) na entrega gratuita de kits com máscaras laváveis e álcool em gel em feira livres da sede de Feira e no distrito de Humildes, no domingo (27).
Mesmo sem citar o nome de Zé Neto, Geílson mostrou-se indignado com a ação, que classificou como de autopromoção do deputado feirense. “A ação é louvável, porém, se é uma ação do Estado em parceria com o Município, o que o deputado e seus assessores estavam fazendo lá entregando o material?”, questiona Geílson.
“O governo do estado, com tantos funcionários, não precisa dessa ajuda. Os funcionários dele dizendo que quem estava doando era fulano e ele grava live dizendo que era ação do Estado. Arranjassem voluntários. Me faça uma garapa. Isso é busca de autopromoção, querendo aparecer. É surfar na necessidade da população. Político que faz o favor em busca do voto. Quer aparecer, pendura uma melancia e fica desfilando nas feiras”, acentua Carlos Geílson.