Os áudios que estão circulado em grupos de WhatsApp, divulgando ações de cadastramento para famílias interessadas em receber a cesta básica, distribuída pela prefeitura de Feira de Santana, são parte de um golpe. No áudio, uma mulher, que não se identifica, informa que vai fazer uma ação de cadastro, no bairro Aviário.
Ela pede para as pessoas interessadas levarem os documentos para o cadastro: RG, CPF, comprovante de endereço e o número do NIS - Número de Identificação Social.
“Fazer o cadastro pra receber a cesta básica, tá certo? Que é da situação do governo, pra vocês não ter que ir pra CRAS, que nesses tempos, agora, de coronavírus, tá tudo fechado”, diz trecho do áudio.
Além dos áudios, a população encaminhou para a prefeitura a foto de um cartaz, que foi colado na entrada de um residencial do Minha Casa, Minha Vida, e a foto da fila que se formou no dia do cadastro. No cartaz, tinha o nome e telefone da pessoa que está desenvolvendo as ações de cadastro. Cristiano Queiroz, diretor da Secretaria de Desenvolvimento Social, registrou uma queixa na delegacia. “São pessoas alheias à instituição pegando essas informações. Então, nós já comunicamos à Polícia Civil, que está na possibilidade de instaurar um inquérito pra averiguar a situação”, contou Cristiano.
Os CRAS - Os Centros de Referência de Assistência Social estão funcionando de segunda a sexta-feira. A única mudança é que por conta da pandemia do covid-19 os usuários precisam agendar o atendimento por telefone. Feira de Santana tem 16 Cras, em várias regiões da cidade. “Os nossos cadastros de programas sociais continuam. O próprio cadastro do Bolsa Família cadastrou no último mês mais de 5 mil novos beneficiários. Entretanto, em nenhum momento, apesar da pandemia do coronavírus, isso fugirá dos equipamentos da Secretaria de Desenvolvimento Social. Ou seja, esses cadastramentos serão sempre feitos pelas equipes padronizadas da Secretaria. Portanto, fiquem atentos a esse tipo de golpe”, alertou o secretário interino de Desenvolvimento Social, Ícaro Ivvin.