Enquanto o comércio segue, em boa parte, fechado em Feira de Santana, agências bancárias mostram um cenário de aglomeração e filas.
Nessa terça-feira (14) as agências da Caixa Econômica amanheceram com longas filas, formadas por pessoas em busca do auxílio emergencial de R$ 600.
Um exemplo foi a agência da CEF localizada na rua Tertuliano Carneiro, centro de Feira de Santana. A frente da agência estava superlotada, bem antes do horário de abertura.
Mais impressionante, ainda, foi a quilométrica fila que deu a volta no quarteirão. Em tempos de pandemia, uma atitude inconsequente. E o pior: a grande maioria não usava máscara de proteção.
Uma situação desnecessária, porque o dinheiro pode ser transferido ou usado para pagar contas, sem a necessidade de saque na boca do caixa.
Aos poucos o presidente Bolsonaro vai tirando as pessoas de casa, como deseja, usando o auxílio. Mas é preciso lembrar: R$ 600 não valem uma vida.