A direção da Fundação Hospitalar de Feira de Santana resolveu dispensar licitação para contratar várias empresas, após fracasso em licitação para aquisição de materiais e equipamentos que combatem o contágio de coronavírus – três colaboradores do Hospital testaram positivo para a covid-19. São R$ 128 mil reais só de máscaras.
O Diário Oficial Eletrônico Municipal traz a lista das empresas, valores e equipamentos e materiais comprados pela Fundação Hospitalar de Feira de Santana. A dispensa de licitação é permitida, nesse momento de pandemia, pela Medida Provisória 926, artigo 4E, Lei Federal.
EMPRESAS CONTRATADAS - Instramed Indústria Médico Hospitalar Ltda – Valor R$ 13.000,00 (treze mil reais); Medpej Equip. Médicos Ltda-EPP - Valor R$ 39.694,00 (trinta e nove mil, seiscentos e noventa e quatro reais); G.P. Vezano EIRELI – Valor R$ 2.991,00 (dois mil, novecentos e noventa e um reais); Polymed Metalúrgica Industrial Ltda R$ 16.860 (dezesseis mil, oitocentos e sessenta).
MÁSCARAS - Processo de Dispensa de Licitação nº 60-2020-1123D, Parecer Jurídico nº018/FHFS/2020 Processo Admin.:74-2020 – Contratante – Fundação Hospitalar de Feira de Santana-FHFS. Empresa contratada: C.F. de Almeida & Cia Ltda. Valor R$128.000,00 (cento e vinte e oito mil reais). Aquisição em caráter de emergência devido a pandemia do coronavírus de máscaras descartáveis em tecido sintético (TNT) para atender ao Hospital da Mulher e unidades pertencentes à Fundação Hospitalar de Feira de Santana, por um período de 60 (sessenta) dias.
GILBERTE LUCAS EXPLICA- "A compra de máscaras se deu pela desistência do fornecedor que já tinha contrato com a  Fundação. O mesmo encaminhou documento informando que não poderia mais arcar com a entrega de máscaras pelo desabastecimento em todo Brasil. Conforme protocolo da Fundação não só os funcionários usam as máscaras, as gestantes internadas e acompanhantes também vão usar máscaras pela proteção das gestantes internadas e recém-nascidos, já que muitas vezes as mesmas vêm de outros municípios e sem o devido acompanhamento  do pré-natal. Como o fluxo de pacientes é muito grande e em 2020 aumentou em quase 15% a procura de gestantes na unidade essa medida vem a somar. Não foi realizado dispensa por causa dos casos positivos dos colaboradores já que todos os funcionários da área de saúde já usa, mas, sim porque teve desistência da empresa que já fornecia as máscaras".