“Fiz o que a assessoria Jurídica da Câmara Municipal determinou. A informação que recebi foi que Josafá Ramos abdicou (renunciou) do mandato”. A declaração é do presidente da Câmara Municipal de Feira de Santana, vereador José Carneiro, sobre a polêmica envolvendo uma cadeira na Casa com a saída de Pablo Roberto e assumida por Roberci da Vassoura, mas reivindicada pelo policial militar Josafá Ramos, conforme matéria do site Olá Bahia.
“Ele (Josafá) renunciou. Se ele renunciou eu nomeei o suplente Roberci. Agora, quando Josafá me ligou, orientei ele a buscar um advogado e entrar com ação judicial, porque eu posso estar errado no meu entendimento. Eu não sou dono da verdade e estou pronto para cumprir a decisão que o juiz determinar. E a razão pela qual convoquei Roberci, é porque Josafá renunciou ao mandato”, explica José Carneiro ao Protagonista.
O CASO - Com a ida do vereador Pablo Roberto Gonçalves para a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social (Sedeso), um suplente deveria assumir a vaga. Foi convocado Roberci da Vassoura.
Josafá recorreu à Justiça para assumir a vaga e quer anular o ato de convocação de Roberci da Silva Lima, o Roberci da Vassoura, publicado na sexta-feira (24).
O PM Josafá Ramos disputou a eleição para vereador em 2016 pela coligação PTB/PRP/PV/PEN/PHS. Ele obteve 3.469 votos, ficando na 27ª colocação geral, além da terceira suplência. Já Robeci da Vassoura, segundo a defesa de Josafá Ramos, ficou com a 4ª suplência com 3.178 votos.
O site Olá Bahia teve acesso ao mandado de segurança proposto pelo advogado Hércules Oliveira, que defende os interesses do suplente Josafá Ramos. O MS foi distribuído em uma das varas do Poder Judiciário na noite de sexta-feira.
O advogado Hercules Oliveira destaca no MS que o suplente Josafá Ramos já havia sido convocado para assumir a vaga, em fevereiro de 2019, mas devido a participação dele em um curso de graduação para sargento da Polícia Militar não foi possível.