Uma declaração irônica do vereador Roberto Tourinho, na sessão dessa terça-feira (28), pela manhã, na Câmara Municipal, causou o maior furdunço. “Mudam-se as coleiras, mas os cachorros são os mesmos”, disparou Tourinho em direção à base governista na Casa.
As reações foram imediatas. “Antes de chamar de cachorro, deveria olhar para seu rabo. Eu iria dar algumas informações sobre ele aqui, mas não me deixaram”, ameaçou Ron do Povo.
As duras palavras de Tourinho, que é advogado, revoltaram até colegas normalmente econômicos nos discursos.
O vereador e líder do Governo na Casa, Marcos Lima, foi o primeiro a rebater o colega oposicionista. “O vereador Roberto Tourinho, muito cheio de graça e piadinha; o advogado tem trazido fake news a esta tribuna. Para ele, quanto pior, melhor; se preocupa apenas em rebaixar o líder do Governo e o prefeito. Fica falando do ex-prefeito Tarcízio, deixa Tarcízio quieto”, acentua Marcos.
Em aparte, Cadmiel Pereira (DEM) também repudiou a fala de Tourinho. “Não agimos como Tourinho, que age com agressividade para com os colegas, que os chama de cachorros, usa termos inadequados. Independentemente de lado político, temos que respeitar os colegas e ajudar a população neste momento delicado que estamos vivenciando”, avaliou.
Também em aparte, a vereadora Neinha Bastos (DEM) se pronunciou. “Criticar, todos criticam. Mas, quero ver colocar a mão. Quero saber o que o vereador Tourinho tem feito para a população neste momento? Em que tem ajudado?”, questiona Neinha.
Isaías de Diogo (MDB) também criticou o trocadilho usado pelo oposicionista Roberto Tourinho. “Graças a Deus, cheguei a esta Casa em 2012 e digo que não tem animais aqui. Hoje, temos uma linguagem de respeito, não existem cachorros aqui dentro. As pessoas não votaram em animais e cada um defende o que acredita. Tenho aprendido com Tourinho, mas não posso concordar com o que ele fala. Não somos cachorros. Honre a educação que seus pais lhe deram”, repudiou.
Eli Ribeiro (REP) disse ter ficado chocado com as palavras de Tourinho. “Fiquei chocado com o discurso do colega Tourinho. Quando ele fala que mudam as coleiras e os cachorros são os mesmos é de estarrecer. Tratar seus colegas de forma tão grossa não dá para acreditar, principalmente por vir de um colega tão equilibrado como ele”, avaliou.
Também em aparte, Ron do Povo (MDB) foi mais duro e disse ter intenção de revelar “informações comprometedoras sobre Tourinho”, mas foi aconselhado a recuar. “Antes de chamar os colegas de cachorro, deveria olhar para seu rabo. Ele deveria dar nomes aos cachorros, mas ele não tem coragem. Eu iria dar algumas informações sobre ele aqui, mas Cadmiel não me deixou. Não tenho medo de ninguém. Devemos ser respeitados”, disse.
Lulinha (DEM) seguiu a mesma linha dos colegas. “Tourinho já fez várias ofensas, lamento pelas palavras usadas por ele. Já nos chamou de cachorro, doido, louco e mais. Sinto muito um advogado usar essas palavras para atingir os colegas”, observou.
Para finalizar, o líder Marcos Lima disse suspeitar da intenção do oposicionista Roberto Tourinho. “Talvez ele queira até que a proliferação do coronavírus fique pior em Feira de Santana, para ter o que criticar. Volto a falar: para ele, quanto pior, melhor”, concluiu.
(Foto: arquivo Ascom Câmara)