Os advogados da servidora pública municipal que alega ter sido assediada sexualmente dentro da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social (Sedeso), em abril passado (leia mais), pelo então secretário interino Ícaro Ivvin, vão levar o caso ao conhecimento de vários órgãos de defesa dos direitos das mulheres, além da Assembleia Legislativa, Câmara dos Deputados e Senado.
Em contato com o Protagonista, informaram que “uma documentação está sendo preparada sobre o caso para encaminhamento às seguintes instituições e poderes: Organização Interamericana de Direitos Humanos, Conselho Nacional dos Direitos da Mulher, Comissões da Assembleia Legislativa, Câmara dos Deputados e Senado Federal sobre Direitos Humanos, para narrar a mora e descaso dos órgãos em Feira de Santana para apurarem a acusação de abuso sexual sofrida pela servidora”. 
Sobre o andamento do caso na Polícia Civil, os advogados afirmam que algumas pessoas foram convocadas para prestar depoimento. “Uma senhora, que teria sido assediada pelo acusado, foi ouvida junto com o marido”, informa.
Sobre a Sindicância instaurada pela Prefeitura de Feira para apurar a denúncia, como o Protagonista adiantou o procedimento foi adiado por 30 dias (leia mais).