O músico e empresário Galeguinho SPA, que teve sua pré-candidatura suspensa esta semana pelo PSB, acusado de promover uma festa e consequente aglomeração em seu bar, vai recorrer da punição junto ao partido. Em contato com o Protagonista, o artista deu sua versão para o caso.
Segundo Galeguinho, muito conhecido na cidade por se apresentar em festas e bares, tudo aconteceu porque houve falha de equipamentos na Live que anunciou nas redes sociais e seria transmitida em seu bar, no final de semana passado. “Muita gente já sabia da Live, amigos e fãs. Quando aconteceu o problema técnico, algumas pessoas se dirigiram a meu bar e pediram uma canja. Não foi uma festa programada”, explica.
Mas a direção do PSB, partido no qual Galeguinho ingressou em abril passado, não gostou e emitiu uma nota pública cancelando a pré-candidatura do músico, alegando que a “ação foi de encontro ao que determina as medidas de isolamento social para combate ao coronavírus”.
“Já mantive contato com a direção do partido, através de Ângelo Almeida, um político de bom senso e que preza pelo diálogo. Tenho fé que meu sonho de ser vereador e ajudar minha cidade não vai acabar. Como disse anteriormente, nada foi programado e eu apoio, incondicionalmente, todas as medidas de combate ao coronavírus”, pontuou.
Embora tenha evitado polêmicas em sua versão, o que se comenta é que Galeguinho teria sido alvo da inveja de um político de seu partido, incomodado com a força dos 66 mil seguidores do artista nas redes sociais. Ele não confirma. Nem nega.